sábado, 15 de dezembro de 2018.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Paixões homoafetivas

quinta-feira, 06 de fevereiro 2014

Imprimir texto A- A+

As relações homoafetivas datam de muito tempo. É conhecida a história de Sófocles, escritor grego do século V antes de Cristo, quando passava por um efebo e olhou fixamente para ele. Perguntado por um amigo se ainda praticava o amor, disse que não. A idade não permitia. Mas como sempre fora adepto da beleza, mantinha, pelo menos, aquela mania: admirar os belos rapazes.

A luta dos homossexuais para se afirmar literariamente também é um tanto quanto antiga. De todos os escritores, aquele que mais destacou-se, talvez, foi Oscar Wilde, por haver sofrido um processo por causa de sua paixão pelo filho do Marquês de Queensberry, Lorde Alfred Douglas. Preso em 1895, foi solto dois anos depois totalmente diferente daquele que entrara no cárcere de Reading.

No Brasil, o autor que mais tratou do assunto foi Adolfo Caminha, quando escreveu o “Bom Crioulo” em 1895. Considerado o primeiro livro da Literatura Brasileira no qual o homossexualismo é apresentado de forma explícita, Adolfo Caminha, no entanto, não está sozinho neste universo. Aluízio de Azevedo também se referiu a ele em algumas passagens de “O Cortiço” assim como Lima Barreto fez o mesmo em “Recordações do Escrivão Isaías Caminha” quando transformou João do Rio em um de seus personagens.

O Autor e o Livro

Nascido na Paraíba do Sul, cidade da região serrana do Rio de Janeiro, em 1978, Helder Caldeira também acaba de escrever um romance sobre o assunto. Trata-se do livro “Águas Turvas” publicado pela Editora Quatro Cantos. No romance, o autor que, além de escritor, também é jornalista político e conferencista, narra a história de amor entre o jovem médico brasileiro Gabriel Campos e o executivo Justin Thompson, herdeiro de uma abastada família republicana da Costa Leste norte-americana tendo, como pano de fundo, a crise econômica que sacudiu o mundo e os Estados Unidos entre 2008 e 2011.

A grande surpresa do autor, quando o livro foi postado na Internet, foi perceber a quantidade de acessos que teve em apenas 28 dias. Foram 10 mil curtidas, diz ele, e com um pequeno detalhe: 48 % deste público está na faixa etária entre 13 e 34 anos e 47 % entre 18 e 24 anos. Outro público que também surpreendeu o autor foi a quantidade de homens que acessou a página durante estas quatro semanas. Foram, segundo ele, 66 % do total daqueles que estão entre 13 e 34 anos. A fanpage revela também que, além do Brasil, o romance foi visto em Portugal, Estados Unidos, Angola, Reino Unido e outros 30 países.

Na avaliação da crítica “‘Águas Turvas’ é um daqueles livros que pode e deve ser devorado em pouquíssimo tempo”, escreveu o jornalista e crítico literário Leandro Farias no portal Pop de Botequim concluindo que o “autor surpreende pelo estilo fluído da narrativa e pelo preciosismo de sua construção literária”. Para Sabrina Abreu, jornalista da revista Veja BH, “os personagens de ‘Águas Turvas’ encarnam as questões do homem contemporâneo, com novas noções de família, de relacionamento e de lar”.

Previsto para ser lançado em março no sul do País, em abril poderá vir para Fortaleza. A terceira cidade, segundo o autor, que mais acessou a página do romance na Internet. Só perdendo para o Rio de Janeiro e São Paulo.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter