quarta-feira, 20 de março de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Proposta estabelece campanha antitabagismo em todas escolas do Ceará

quinta-feira, 27 de dezembro 2018

Imprimir texto A- A+

Realizar palestras e debates nas escolas públicas e privadas do Estado do Ceará, com a finalidade de prevenir a entrada de crianças e adolescentes no mundo do tabagismo. Essa é a proposta do projeto de lei de autoria do deputado Audic Mota, que institui a Campanha Estadual Antitabagismo nas escolas do Ceará, aprovado na Assembleia Legislativa do Ceará, no último 28 de novembro.

O objetivo é alertar aos estudantes sobre os malefícios e consequências do tabagismo, além de estimular práticas de uma vida saudável. Pelo projeto aprovado, caberá à Secretaria Estadual de Educação desenvolver a campanha, em parceria com as Secretaria Estadual de Saúde, Secretárias Municipais, instituições acadêmicas, organizações da sociedade civil, organismos governamentais e não governamentais.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera o tabagismo como a principal causa de morte evitável do mundo. A estimativa é que cerca de dois milhões da população adulta mundial seja de fumantes. O parlamentar justifica, no projeto, que o tabagismo está relacionado a mais de 50 doenças, sendo causador de mortes por câncer de boca, câncer de pulmão, doenças do coração, bronquites e enfisema e derrame cerebral. “Segundo a OMS, todo ano mais de cinco milhões de pessoas morrem no mundo por causa do cigarro. E, em 20 anos, esse número chegará a 10 milhões se o consumo de produtos como cigarros, charutos e cachimbos continuar aumentando”, alerta Audic Mota.

Riscos de doenças
A prevenção ao tabagismo desde cedo também é motivada para precaver outras doenças na vida adulta, como a impotência sexual e a infertilidade masculina. Os prejuízos causados pelo cigarro são os mesmos atribuídos ao cachimbo e charuto, que possuem uma concentração de nicotina maior.
Os riscos de doenças, no entanto, não são apenas para fumantes ativos, pessoas não fumantes também morrem em consequência do fumo passivo, ou seja, por estar perto de quem fuma.

Porta de entrada
O deputado estadual ressalta, ainda, a preocupação além dos malefícios do tabagismo à saúde. Audic Mota considera que o tabagismo funciona como a entrada de crianças e adolescentes para outras drogas ainda mais pesadas e prejudiciais. “Prevenir o tabagismo na população adulta é medida necessária como forma de busca permanente por vida saudável, na população de crianças e adolescentes é medida que se impõe ao Estado como forma de proteção integral a estes sujeitos que, como sabido, encontram-se em especial fase de desenvolvimento”, finalizou.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter