29 C°

sábado, 22 de julho de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Agenda verde

terça-feira, 04 de julho 2017

Imprimir texto A- A+

8 de Julho
Dia Nacional da Ciência
Criado pela Lei 10.221, de 18 de abril de 2001, o dia passou a ser celebrado em 8 de julho com o objetivo de promover a Ciência e estimular as diversas práticas científicas; um importante passo para colocar em destaque o estudo e a produção científica no País.
O vocábulo “Ciência” vem do latim scientia e significa conhecimento. Num sentido mais amplo, a palavra pode ser utilizada para dizer que se tomou conhecimento, ciência, de um fato.

“Ciência é um tipo de conhecimento que procura compreender verdades ou leis gerais que fornecem uma explicação para o funcionamento das coisas. Para isso, o cientista realiza observações. A partir delas, faz verificações, classificações ou medições, procurando, geralmente, traduzir os fatos para a linguagem da estatística ou da matemática.”

Agenda GLOBAL

A Força-Tarefa sobre Divulgações Financeiras Relacionadas ao Clima (TCFD) divulgou no último dia 29 de junho, relatório final. Ele será apresentado aos líderes do G20 no encontro de cúpula marcado para julho em Hamburgo, na Alemanha. Mas já recebeu o apoio de empresas que, juntas, somam um capital de US$ 3,5 trilhões, e de instituições financeiras responsáveis por ativos de cerca de US $ 25 trilhões.

Estas mais de 100 corporações comprometeram-se publicamente a apoiar as recomendações da Força Tarefa, um ato que comprova a importância da divulgação dos riscos e oportunidades relacionados ao clima. A lista inclui as brasileiras Natura, Fibria, Bradesco, Vale, Duratex e GranBio.
“A mudança climática apresenta aos mercados globais riscos e oportunidades que não podem ser ignorados, e é por isso que parâmetros sobre divulgações relacionadas ao clima são tão importantes. A Força-Tarefa tornou isso em realidade, ajudando os investidores a avaliar os potenciais riscos e recompensas de uma transição para uma economia de baixo carbono”, disse Michael Bloomberg, presidente da Força-Tarefa, que conta com Denise Pavarina, diretora executiva do Bradesco, entre seus vice-presidentes.

Enquanto empresas agem cada vez mais para enfrentar os efeitos das mudanças climáticas no dia a dia de suas operações e nas estratégias de longo prazo, um número crescente de investidores está exigindo melhores informações sobre essas ações.
A adoção pelas empresas das recomendações da TCFD é um passo importante para permitir que as forças do mercado gerassem alocações de capital mais eficientes e contribuam para uma transição suave para uma economia de baixo carbono. A primeira versão do relatório foi divulgada em dezembro de 2016 e recebeu mais de 300 respostas vindas de 30 países, sobre as quais o grupo trabalhou para abordar as principais questões levantadas. .

outros destaques >>

Facebook

Twitter