29 C°

quinta-feira, 27 de abril de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Diálogo sobre resíduos sólidos norteia visita de prefeito ao Conjunto Palmeiras

terça-feira, 18 de abril 2017

Imprimir texto A- A+

Um dos bairros mais emblemáticos de Fortaleza, o Conjunto Palmeiras, um lugar erguido à duras penas por seus moradores desde os anos 1970, tem se notabilizado por seus projetos próprios voltados para melhorias de sua gente, inclusive com uma moeda específica do bairro, a Palma, que fortaleceu a economia do lugar.

Sendo assim, a comunidade residente no Palmeiras está cada vez mais exigente com relação à atenção dos governantes para com eles, da mesma forma proporcional, a Prefeitura de Fortaleza tem olhado com muito mais carinho para o local.

Na manhã do último dia 11, o bairro recebeu a visita do prefeito Roberto Cláudio e da titular da Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), Águeda Muniz. Mas, o que ambos foram fazer no Conjunto Palmeiras? A resposta tem tudo a ver com a consciência ambiental. No foco, alternativas viáveis para a redução da incidência do descarte indevido de resíduos e a consequente revitalização de espaços urbanos.
Prefeito também acompanhou início das obras de construção do Canal da Rua Ismael Silva. A obra esperada pela população do bairro, há mais de quinze anos, deve ser concluída em seis meses e vai beneficiar os moradores com drenagem e pavimentação. Com investimentos de R$ 974 mil, deverá ser concluída em seis meses.

Belo exemplo de cidadania
Por meio de uma caminhada, foram apresentadas ao gestor municipal iniciativas que, partindo da ação comunitária, vêm transformando o cenário na Regional VI. É o governo e a população em contato direto, debatendo ideias e preocupações com a destinação final do lixo produzido na região.
Embora sendo um dos bairros da Capital com baixo IDH, é no Conjunto Palmeiras que pode ser encontrada uma área, considerada uma das mais humanizadas de Fortaleza, o canteiro central da Avenida Val Paraíso, onde nenhum morador coloca lixo ou deixa alguém colocar.
Isso foi possível, graças ao Projeto Conselho do Quarteirão, desenvolvido desde janeiro deste ano, e que organiza moradores quadra por quadra, vem promovendo, em parceria com a Prefeitura, ações de requalificação dos canteiros centrais das vias do Conjunto Palmeiras, revitalizando, inclusive, calçadas e promovendo um ambiente em que se pode estabelecer convívio saudável entre a comunidade.
O canteiro foi humanizado com plantas, bancos e decorado com material reciclado do lixo retirado do local e do entorno. Agora, nenhum morador coloca e nem deixa colocar lixo no local. Saiba mais em: www.institutobancopalmas.org.

Reaproveitar
São estimulados, nessa perspectiva, trabalhos de conscientização a fim de suscitar uma consciência colaborativa, sobretudo em relação à manutenção da limpeza urbana. São organizados mutirões comunitários com o objetivo de humanizar o canteiro central. Dentre as atividades desenvolvidas está o reaproveitamento de materiais recicláveis por meio de oficinas de pintura e de reciclagem de pneus, proporcionando ao ambiente uma ressignificação, estimulando a criatividade dos moradores e amenizando os riscos das arboviroses, que se intensificam no período da quadra chuvosa.
Objetivando expandir o projeto para outras regiões de Fortaleza, a Prefeitura vem desenvolvendo ações que visam amplificar essa tecnologia social, promovendo uma mudança de atitude e de comportamento diante de alternativas de limpeza, de urbanização e de manutenção.
O Programa Nossa Rua, ramificado do projeto Reciclando Atitudes, objetiva promover educação ambiental e ações de requalificação por todas as Regionais da Capital, estimulando a reforma de calçadas, melhorias na iluminação pública, ações de arborização e arte de rua.

Conscientizando
Nessa perspectiva, estão sendo selecionados, pelas Regionais de Fortaleza, 200 pontos de lixo distribuídos pelos canteiros centrais e pelas calçadas da Capital a fim de urbanizá-los. Havendo um consenso e um ideal de manutenção coletiva entre o poder público e a comunidade local, serão promovidas ações que gerarão melhorias para todos. A Seuma já vem trabalhando em 30 pontos da cidade onde os critérios são atendidos.
“O cidadão pode procurar a sua Regional, apresentar o seu ponto de lixo e, caso haja engajamento comunitário e disposição da comunidade de fazer isso com a gente, nós vamos fazer isso juntos. Quem sabe, ao longo de quatro anos, se não acabarmos com todos, podemos acabar com grande parte dos pontos e rampas de lixo que enfeiam, que poluem e que acabam trazendo o lixo de volta para dentro de casa”, destacou o prefeito.
“Devemos inverter a lógica de que o canteiro central é lugar de se colocar lixo e descartar aquilo o que não serve. Aqui, nós temos a lógica de que canteiro central é lugar de encontro, de entretenimento, de humanização, de bem-estar das pessoas, de terapia ocupacional. A ideia é ressignificar o papel do canteiro central, tornando-o saudável, limpo, bom e gostoso de se viver”, afirmou o coordenador do Banco Palmas, Joaquim Melo. Ao todo, cerca de 4 km de vias, dentre calçadas e canteiros, já foram revitalizadas. Para incentivar a população a colaborar e estabelecer interatividade aos espaços requalificados, o Banco Palmas oferece cobertura de Internet wi-fi a uma extensão equivalente a 3 km da Avenida Valparaíso, favorecendo o comércio local e a população do entorno.

Povo participando da transformação
“Estamos completando 291 anos. Fortaleza precisava que o cidadão voltasse a se apaixonar pela Cidade e fazer que, o menor e o mais simples olhar pela cidade, se traduzisse no amor por Fortaleza. A gente tem tido essa experiência de que, quando as pessoas fazem parte da transformação, isso tudo muda para sempre”.
Águeda Muniz, titular da Sema.

Da Redação Do Oev
Oev@Oestadoce.com.br

outros destaques >>

Facebook

Twitter