27 C°

domingo, 25 de junho de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

ONU anuncia primeiro festival mundial dos oceanos em NY

terça-feira, 18 de abril 2017

Imprimir texto A- A+

O Planeta precisa continuar azul, a vida marinha é essencial. Tão importantes quanto às florestas para a regulação do clima da Terra, os oceanos são essenciais para a sobrevivência das espécies, porque 70% do oxigênio disponíveis no Planeta são produzidos nos plânctons existentes nos oceanos e mares.

Desenvolvimento sustentável dos oceanos e das águas costeiras deve fazer parte da mesma agenda estratégica também. Não por acaso, a Organização das Nações Unidas (ONU) acaba de anunciar que os oceanos terão o primeiro festival mundial que acontece dia 4 de junho e precederá conferência sobre o tema, que ocorre entre 5 e 9 de junho, na sede na ONU, em Nova York.
Líderes internacionais devem participar do primeiro Festival dos Oceanos, reunião sobre proteção e sustentabilidade dos mesmos e que visa incentivar os cidadãos a ajudar a reverter o declínio da saúde dos mares.

ODS 14
O festival, que se concentra no Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 14, é uma realização da ONU em parceria com a cidade de Nova Iorque e será organizado pela Fundação Global Brian. O ODS 14 trata da “conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável”.
Em nota dirigida à imprensa, o presidente da Assembleia Geral, Peter Thomson, lembrou que a situação do oceano é bastante crítica. Segundo ele, se as tendências atuais continuarem, haverá mais plásticos que peixes na água. Ele explicou que a poluição marinha ameaça os estoques de peixe, que estão diminuindo no momento. Para Thomson, não existe saída a não ser o desenvolvimento sustentável.
O prefeito de Nova Iorque, Bill de Blasio, por sua vez, reconheceu a importância de as cidades liderarem a proteção contra a degradação, por meio do consumo sustentável e através da gestão eficaz dos recursos naturais do mundo.
O presidente da Assembleia Geral da ONU afirmou que Nova Iorque é um modelo não só para os Estados Unidos, mas para todo o mundo sobre como as capitais podem integrar os ODSs em seu planejamento urbano. Saiba tudo sobre o Festival dos Oceanos em oceanconference.un.org.

Limites para a exploração da vida

Quando esteve no Brasil, em 2012, para participar da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, no Rio de Janeiro, a bióloga e oceanógrafa americana, Sylvia Earle, uma das maiores autoridades mundiais da vida marinha, lembrou que a humanidade vive um momento histórico. Pela primeira vez o “ser humano entende que há limites para a exploração da vida, do que podemos e não podemos tirar da natureza”,

Brasil
Ela ainda reforçou a posição do Brasil de líder na defesa da biodiversidade, ao sair na frente dos outros países, já que 1,5% do nosso oceano é protegido por lei. Sylvia Earle é autora de mais de 170 publicações científicas e técnicas, incluindo o Atlas dos Oceanos, da National Geographic e liderou mais de cem expedições, possuindo mais de sete mil horas de trabalho embaixo d’água.

Por Tarcilia Rego
tarciliarego@oestadoce.com.br

outros destaques >>

Facebook

Twitter