27 C°

sábado, 25 de março de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Parque Nacional de Jericoacoara recebeu 780 mil visitantes, em 2016

terça-feira, 07 de março 2017

Imprimir texto A- A+

 

Você sabe por acaso o que são Unidades de Conservação (UCs)? Se sim, parabéns, mostra que você está antenado com a natureza e quem a preserva. Se não conhece, fique tranquilo, nós iremos esclarecer.
As UCs têm a importante função de salvaguardar a representatividade de porções significativas e ecologicamente viáveis das diferentes populações, habitats e ecossistemas do território nacional, preservando o patrimônio biológico existente. Além disso, garantem às populações tradicionais o uso sustentável dos recursos naturais de forma racional e ainda propiciam às comunidades do entorno o desenvolvimento de atividades econômicas sustentáveis.
Nos últimos anos, vem crescendo o número de visitantes, turistas e curiosos nestas áreas. E não por acaso, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão gestor das UCs instituídas pela União, acaba de divulgar o balanço da visitação nas unidades federais, em 2016.
Os números indicam uma leve alta em relação a 2015, passando de 8,07 milhões para 8,29 milhões. Entre o ano de 2007 e 2016, as UCs federais receberam 55.865.649 visitantes.(Tabela)

Números
A unidade mais visitada continua sendo o Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro, que recebeu 2.720.517 de pessoas em 2016. Em seguida, vêm os parques nacionais do Iguaçu, no Paraná (1.560.792), e em terceiro lugar aparece Jericoacoara, no Ceará com 780 mil, com aproximadamente o dobro de visitantes de Fernando de Noronha, em Pernambuco (389 mil).
Se em 2016, a UC da Tijuca recebeu um número significativo de visitantes, no entanto houve um decréscimo se comparado a 2014 quando recebeu 3.113.913 turistas. Em nota, atendendo à nossa demanda, o Instituto acredita “que 2014 foi um ano atípico” por conta do evento futebolístico Copa do Mundo, quando o Rio de Janeiro recebeu um grande número de pessoas.
Jericoacoara, ao contrário, de 2014 a 2016, dobrou o número de visitantes. De 400 mil passou para 780 mil. Segundo o ICMBio, com “relação ao Parque Nacional de Jericoacoara, houve uma melhoria na forma de contagem que antes apenas contava as pessoas que pernoitavam nas pousadas da Vila e a partir de 2016, também começou a contar (por amostragem) os visitantes que não pernoitam”.

Procura
De acordo com Sérgio Brant, que já foi diretor de Criação e Manejo de Unidades de Conservação da autarquia federal e hoje gere o Programa da Secretaria-Executiva, “houve realmente um incremento de visitação em alguns polos durante Copa e Olimpíadas, entretanto tivemos também outras situações atreladas a algumas edições especiais do Globo Repórter que mostravam alguns parques. A novela “Império”, por exemplo, fez crescer incontrolavelmente a visitação ao parque do Monte Roraima”, sentenciou.
Para Tiago Silva, gestor ambiental da Área de Proteção Ambiental (APA) da Lagoa de Jijoca, unidade de conservação de uso sustentável situada entre os municípios de Cruz e Jijoca de Jericoacoara, a aproximadamente 290 km de Fortaleza, assim como o ICMBio, ele também acredita que “provavelmente” os eventos esportivos têm a ver com o crescimento no número de visitantes nessas áreas. “Porém, pegando como exemplo as UCs cearenses, o ano inteiro basicamente é de alta estação, com exceção de dois meses e meio a três meses”, esclarece.

Sucesso de Jeri

O Parque Nacional de Jericoacoara foi criado em fevereiro de 2002, com área de 8.416 hectares, a partir da recategorização parcial da Área de Proteção Ambiental criada em 1984, e da redefinição de seus limites em junho de 2007.
Foram ajustados os limites referentes à localização da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) da Vila de Jericoacoara e os limites sul e oeste do parque, ampliando a área para 8.850 hectares, incluindo também uma faixa marítima com um quilômetro de largura, paralela à linha costeira. O Parna (abreviação para Parque Nacional) é um verdadeiro sucesso de visitação, mesmo comparado a UCs de outros centros maiores.
Jericoacoara aparece normalmente entre os mais procurados do país, figurando normalmente entre os três ou quatro destinos preferidos dos turistas. Em 2013, quando as visitas passaram a ser contabilizadas, aproximadamente 100 mil pessoas foram a Jeri; em 2014, esse número elevou para 400 mil; 2015 e 16 cresceu mais ainda, batendo a marca de 780 mil.

Ferramenta
“O nosso objetivo é atingir um novo patamar de desenvolvimento e gestão das unidades de conservação, especialmente dos parques nacionais. Queremos torná-los sustentáveis, pois eles desempenham papel fundamental na proteção da biodiversidade”, destaca o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho.
“A visitação é uma ferramenta estratégica de sensibilização para a conservação e estímulo ao desenvolvimento do sentimento de pertencimento da sociedade em relação a essas áreas protegidas”, diz a diretora de Criação e Manejo (Diman) do ICMBio, Lilian Hangae.

Sobre o ICMBio
Criado dia 28 de agosto de 2007, pela Lei 11.516, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade ou ICMBio é uma autarquia em regime especial, vinculado ao Ministério do Meio Ambiente e integra o Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama).
Cabe ao Instituto executar as ações do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (Snuc), podendo propor, implantar, gerir, proteger, fiscalizar e monitorar as UCs instituídas pela União. Saiba mais: www.icmbio.gov.br

SAIBA MAIS

OeV: A quem compete ações de estímulo ao ecoturismo no sentido de fomentar o desenvolvimento econômico do local no qual está inserida uma Unidade de Conservação federal, a exemplo de Jericoacoara?
ICMBio: A competência para o fomento ao ecoturismo cabe tanto ao ICMBio, que organiza as atividades no interior do Parque Nacional de Jericoacoara, gerando emprego e renda nas comunidades do seu entorno, bem como aos municípios lindeiros ao parque, que fazem as regras de ordenamento do território, as políticas de implementação de hotéis e pousadas e a sinalização turística nos limites do parque.

OeV: E o que cabe ao Governo Estadual do Ceará?
ICMBio: Cabe a divulgação nacional do parque, a manutenção do aeroporto e das estradas de acesso a partir de Fortaleza, o tratamento do esgoto da vila de Jericoacoara, bem como o auxílio à fiscalização por meio da Polícia Militar e do Detran.
Ao Governo Federal como um todo, ainda cabe a divulgação internacional (por meio da Embratur) e a capacitação dos agentes locais por meio do Sebrae.

Tarcilia Rego e FelLipe Málaga
oev@oestadoce.com.br

Mais conteúdo sobre:

Parque Nacional de Jericoacoara

outros destaques >>

Facebook

Twitter