29 C°

sábado, 22 de julho de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Uma casa desmontável em harmonia com o meio ambiente

terça-feira, 11 de julho 2017

Imprimir texto A- A+

A incorporação de práticas de sustentabilidade na construção é crescente no mercado e a adoção das mesmas, o que parece, é um caminho sem volta. E este é o caminho que o engenheiro cearense, Fernando Alves Ximenes, vem [per] seguindo. Inventor de um carro movido a quatro combustíveis, que, segundo ele, o primeiro “quadriflex” do mundo, Ximenes acaba de inventar a sua Casa Conceito.

O novo projeto do empresário e diretor da Gram – Eollic, como ele disse à nossa reportagem, chega com “o propósito de disponibilizar ao mercado uma casa desmontável, feita de alumínio e vidro e harmonizada com o meio ambiente, dentro do conceito estabelecido pelo mercado, como construção sustentável” e que pode ser levada para qualquer localidade, quando o residente bem quiser.
Ao que tudo indica o inventor quer também, mudar o conceito de permanência, que está por trás de ideia ou definição de casa, que de acordo com o dicionário designa a residência permanente e fixa de uma pessoa.

Grande diferencial
Segundo Ximenes, a ideia é o próprio cliente montar a casa através de um manual, assim como quem monta um aparelho doméstico. “Com isso, poderemos produzir e vender a casa para qualquer parte do mundo. Imagina você poder alugar um terreno e morar próximo ao seu local de trabalho?”, ressalta Ximenes.
Outro “grande diferencial” do projeto é o fato de a ‘moradia’, já “sair toda pronta da fábrica, garantindo agilidade na construção e não deixando resíduos para trás”, disse. “O desperdício é zero e o usuário final, pode montar em curtíssimo prazo, pois o tempo de construção da Casa Conceito é de apenas três dias”, garante.
Um projeto sustentável começa antes mesmo da construção com a escolha de materiais menos agressivos, duráveis e que exijam o mínimo de impacto possível para sua obtenção. Nesse aspecto o empresário destaca os materiais usados que apresentam “longa garantia e são nobres” a exemplo do alumínio e do vidro. “O aproveitamento é melhor, o peso é menor e o custo logístico é menor, a manutenção do alumínio e do vidro dispensa esforços mantendo custo baixo, apenas com limpeza e higiene.”

Reduz CO²
Ximenes cita outros materiais como: tintas esmaltes, embutidos eletroeletrônicos, cabos, caixas de distribuição, disjuntores, componentes hidráulicos (tubos, registros, torneiras, chuveiros), lâmpadas LED. “Todo material foi projetado e escolhido com muito cuidado, para além de reduzir custo, atender todas as necessidades de conforto, garantias de uso, ductibilidade, segurança e sustentabilidade.”
Ainda segundo o engenheiro, a tecnologia de baixo custo, alta qualidade e conforto e que atende desde a classe de baixa renda até a de alto padrão, traz o conceito ecológico em todas as etapas do projeto, materiais desenvolvidos e na produção de energia solar PVT (Placa Fotovoltaico–Térmica). “A Casa Conceito reduz a emissão de CO² e promove a sustentabilidade visando o desaquecimento do Planeta.”

Factível?
Mas ao se falar a respeito de construção sustentável e de um projeto, na monta deste, proposto pelo inventor cearense, está o grande desafio de superar a distância entre a teoria e a prática. Algumas perguntas precisam ser feitas: como tirar a ideia do papel, como fazer para colocar a casa a disposição do mercado? Tem investidores interessados no projeto?

De acordo com Fernando Ximenes, a “pergunta é boa e tem duas frentes”. Primeiramente passa pela “divulgação do projeto”, assim, o público e os investidores saberão que a tecnologia existe. “E isso já estamos fazendo através dos melhores veículos de comunicação e especialistas da área”, disse.
“Também já estou prospectando investidores locais, na Alemanha e nos Estados Unidos, para fazermos investimentos na linha produção, logística e no setor comercial, todos têm que agregar e acreditar na tecnologia. Em paralelo temos que ter um showroom, assim o público poderá ver a tecnologia e se convencer que é o início de uma nova era na construção civil, essa tecnologia veio pra ficar e será a construção do futuro”.,

Conceito Sustentável: um bom exemplo

O conceito de Construção Sustentável baseia-se no desenvolvimento de modelos ou formas de se construir edificações, harmonizando-as com o ambiente natural e poupando recursos da natureza, sem abrir mão da moderna tecnologia e a criação e desenvolvimento de projetos que atendam as necessidades dos usuários.
Um bom exemplo é a cidade de São Paulo que instituiu através do seu Plano Diretor Estratégico (PDE 2014) a Quota Ambiental (QA) como um novo parâmetro urbanístico de uso e ocupação do solo com o objetivo de potencializar a contribuição dos lotes para a qualidade ambiental urbana, mais especificamente, para as condições urbanas de drenagem de águas das chuvas e de microclima.

Saiba mais

Qual o tamanho?
De acordo com o engenheiro Ximenes, a “Casa Conceito ecológica Gram-Eollic” tem 50 m², duas suítes, closet, sala e cozinha americana, com muito conforto para o usuário. “Quero lembrar, que a tecnologia ‘Construção Conceito Ecológica Gram-Eollic’ não fica restrita apenas em 50 m² com dois quartos, a tecnologia poderá ter infinitas plantas e metragens otimizadas, por exemplo: 70, 90, 100, 120 m² e assim sucessivamente, como também ser um duplex ou exercer outras atividades”, esclarece.
“Poderá ter plantas otimizadas de casas, condomínios, lojas, escritórios, clinicas, escolas e outras tantas, mas o cliente terá que pagar o custo do projeto arquitetônico para que possamos produzir seu gosto”.

Quanto custa?
“A opção básica com 50m², Dois suítes, closet, sala, cozinha americana, piso em louça cerâmica, esquadrias em alumínio e vidro e um sistema de placa solar PVT custará apenas R$ 65.000,00 com projeto incluso”, destaca Ximenes.
“Caso o cliente queira uma planta otimizada ou personalizada, terá que pagar o projeto arquitetônico adicional e os acessórios, fora a parte. Por exemplo: se quer piso de granito ou porcelanato terá que pagar o granito e ou porcelanato a parte, montado, como também um sistema maior PVT”, completa.

Quente ou fria?
A casa foi planejada para utilizar os recursos naturais de forma a responder as variações climáticas locais, metodologia que faz parte da chamada “Arquitetura Bioclimática”, uma das vertentes da “Arquitetura Ecológica ou Sustentável”.
Segundo Fernando, “o usuário da Casa Conceito poderá abrir portas e janelas aproveitando a brisa e a umidade do ar, como também os ventos, sem necessidade de uso de ventilação ou climatização mecânica”, explica. As paredes da casa são térmicas e acústicas com alta eficiência.
“É toda projetada para usar a luz solar e a energia solar, climatizada e acústica, com produção solar PVT, energia solar fotovoltaica [corrente elétrica] e energia solar térmica [produção de água quente através das placas PVT sem uso do chuveiro elétrico].”

Por Tarcilia Rego
tarciliarego@oestadoce.com.br

outros destaques >>

Facebook

Twitter