32 C°

domingo, 17 de dezembro de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Ceará reduz municípios em risco de infestação pelo Aedes aegypti

quinta-feira, 30 de novembro 2017

Imprimir texto A- A+

Valter Campanato/Agência Brasil

O Ceará aumentou a adesão de municípios e melhorou os indicadores no 3° Ciclo Anual do Levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa). Em 2016, no levantamento realizado em novembro por 111 municípios (60% do total de 184 cidades), 12 estavam em situação de risco, com alta infestação, o equivalente a 10,81% da amostra. Este ano, dos 181 municípios (98,36% do total) que realizaram o 3º Ciclo do LIRAa, em novembro, apenas oito estão em situação de risco, 4,41% da amostra.

O LIRAa é um método amostral que tem como objetivo principal a obtenção de indicadores entomológicos de maneira rápida. Ocorre em quatro etapas: planejamento com definição da amostra, execução da pesquisa, análise e avaliação dos resultados. Municípios que possuam mais de 2.000 imóveis na zona urbana estão aptos a realizar o LIRAa. Aqueles com imóveis abaixo deste limite realizam o Levantamento de Índice Amostral (LIA), conforme descrito nas “Diretrizes Nacionais de Prevenção e Controle da Dengue”.
Pelo LIRAa, estão em situação de risco municípios com Índice de Infestação Predial (IIP) acima de 4% dos imóveis. Em situação de alerta estão os municípios com IIP entre 1% e 3,9%, média infestação, e, em situação satisfatória, os municípios com IIP abaixo de 1%. No 3º LIRAa de 2017, o Ceará tem 49 municípios com média infestação, em situação de alerta, e 124 municípios com baixa infestação. O Ministério da Saúde preconiza a realização de três levantamentos anuais, nos meses de abril, julho e novembro.

Estímulo
“A Secretaria da Saúde do Ceará estimula e promove a intensificação das ações de controle do mosquito Aedes aegypti nos municípios. Após o lançamento das ações estratégicas de enfrentamento às arboviroses propostas pelo Governo do Estado, em junho de 2017, a Secretaria da Saúde reforçou as equipes de apoio aos municípios, enviou recursos materiais para ações de campo e tem monitorado permanentemente os indicadores de controle do Aedes aegypti, além de oferecer um incentivo financeiro de R$ 10 milhões aos municípios pelo alcance dos bons resultados. Essas estratégias têm fortalecido e engajado vários setores das administrações municipais, as quais têm participado de ações conjuntas que têm se refletido na melhora dos indicadores dos municípios”, destacou a coordenadora de Promoção e Proteção à Saúde da Sesa, Daniele Queiroz.

Prioridade
Os dados do LIRAa, foram apresentados pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, nessa terça-feira (28). Na ocasião também foi lançada a campanha publicitária de combate ao mosquito Aedes aegypti, que chama a atenção da população para os riscos das doenças transmitidas pelo vetor e convoca a todos ao seu enfrentamento. Foi divulgado ainda, boletim com novos dados de dengue, zika e chikungunya.
O ministro da Saúde, Ricardo Barros, destacou a importância de uma ação conjunta com estados e municípios para o desafio do combate ao Aedes. “O enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti é prioridade do Governo Federal, por isso definimos um dia de mobilização, a Sexta Sem Mosquito, quando ministros de estado e autoridades locais se envolverão para chamar a atenção da população para a importância de combater o mosquito”, informou o ministro da Saúde.

outros destaques >>

Facebook

Twitter