28 C°

quarta-feira, 22 de novembro de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Festival Música da Ibiapaba traz sonoridades contemporâneas

segunda-feira, 17 de julho 2017

Imprimir texto A- A+

O Festival Música da Ibiapaba chega à 13ª edição cheio de novidades, mas sem abrir mão do pioneirismo de promover a formação cultural de músicos e instrumentistas, além de uma programação artística inspiradora e acessível para todos os públicos. Considerado uma referência no calendário cultural do Estado e uma das principais ações de interiorização da política cultural, o “Mi”, como está sendo chamado, acontece de 22 a 29 de julho e aproxima-se das sonoridades contemporâneas, como forma de apresentar a multipluralidadade de sons e ritmos do Ceará e de todo o Brasil.

Realizado pela Secretaria de Cultura do Estado e pelo Instituto Dragão do Mar, em parceria com a Secretaria da Educação, o “Mi” traz nesta edição mais diversidade em toda a sua programação. Durante oito dias, Viçosa do Ceará vai receber uma série de atividades de formação para jovens e veteranos músicos, no total de 30 oficinas e workshops, ministrados por um time de professores de diversas partes do País, como Aparecida Silvino (CE), Heriberto Porto (CE), Gilvando Pereira (PB), Miquéias dos Santos (CE) e Misael da Hora (RJ).

Com 800 inscrições recebidas, o evento oferece 600 vagas para as oficinas, 400 destinadas a estudante da rede pública estadual e as 200 restantes ao público em geral como uma oportunidade única para a troca de ideias, experiência e saberes, em que o talento e o conhecimento se misturam a enorme vontade de aprender. O secretário da Cultura, Fabiano dos Santos Piúba, comenta o novo momento do evento. “A identidade do festival é a formação. O Festival Música da Ibiapaba traz em sua gênese a formação. Essa identidade mantém-se e renova-se, mas estamos buscando novas dimensões, estabelecendo conexões do festival com a música em suas vertentes erudita, popular e contemporânea e de como isso se traduz em sua programação.”, afirma.

Segundo a coordenadora de artes e diversidade cultural da Secult, Valéria Cordeiro, um aspecto importante do “Mi” em 2017 é a introdução de discussões voltadas para a experiência e a inserção no mercado. “Além do talento, de ter uma formação estruturada, como o músico pode entrar no mercado, de que outras formas? Vamos discutir as várias possibilidades de inserção desse músico, trazendo inclusive o diálogo dos mestres da cultura com os profissionais que atuam no mercado e que estarão no festival”, diz. As políticas públicas de cultura voltadas para a música também entram na programação do festival, com o Encontro Estadual de Regentes de Bandas e o Encontro Setorial da Música, que deve reunir o fórum estadual e os representantes das entidades ligadas ao setor.

Abertura
Contemplando os tons abordados pelo evento, a programação artística do Mi reflete esse mix do erudito com o contemporâneo, passando ainda pela música popular. Durante todos os dias do evento, Viçosa do Ceará recebe atrações que traduzem bem o que temos de melhor, entre jovens e experientes artistas, locais e nacionais, que transmitem emoção e muita personalidade em suas belas melodias.
Cristiano Pinho abre a programação, com sua guitarra, retornando ao cenário de Viçosa, sua cidade Natal, seguido da apresentação do Spok Quinteto, diretamente de Pernambuco.

outros destaques >>

Facebook

Twitter