sexta-feira, 20 de setembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Igreja comunica perdão a Padre Cícero

Dom Fernando Panico, bispo de Crato, anunciou que o Vaticano enviou uma carta expressando a vontade do papa Francisco. Camilo Santana comemorou o perdão, lembrando que o papa reconheceu a importância de Padre Cícero para a evangelização

segunda-feira, 14 de dezembro 2015

Imprimir texto A- A+

Um dia importante para a história do padre Cícero Romão Batista e de alegria para seus fiéis. No dia da abertura da Porta Santa da Misericórdia, dom Fernando Panico, bispo da Diocese de Crato, anunciou que a Igreja Católica se reconciliou com o padre. Dom Panico contou aos milhares de fiéis, na Sé do Cariri, que uma carta assinada pelo cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano, expressava o desejo do papa Francisco em conceder o perdão ao “Padim”, pelas punições impostas entre 1892 e 1916.

No trecho da carta dirigida à Diocese de Crato e aos romeiros de Juazeiro do Norte, o cardeal explica que “a mensagem foi redigida por expressa vontade de Sua Santidade o papa Francisco. É inegável que o padre Cícero Romão Batista, no arco de sua existência, viveu uma fé simples, em sintonia com o seu povo e, por isso mesmo, desde o início, foi compreendido e amado por este mesmo povo”.

No Facebook, o governador do Ceará, Camilo Santana comemorou o perdão, lembrando que o papa reconheceu a importância de Padre Cícero para a evangelização. Segundo Camilo, a “reconciliação é o primeiro passo para a reabilitação de Padre Cícero na Igreja Católica, após as punições impostas há mais de um século. Felizes estamos o povo do Cariri, todos nós cearenses e os milhões de devotos de todo o Brasil”

Trecho da carta

A Diocese do Crato divulgou um resumo da carta enviada pelo Vaticano. O texto, na íntegra, será divulgado no próximo domingo, segundo o chanceler da diocese, Armando Lopes Rafael. Confira, abaixo.

Sobre a Reconciliação histórica da Igreja Católica com a memória do Padre Cícero Romão Batista

“Em longa correspondência enviada ao Bispo Diocesano de Crato, Dom Fernando Panico, o secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Pietro Parolin, afirmou que: “A presente mensagem foi redigida por expressa vontade de Sua Santidade, o papa Francisco, na esperança de que Vossa Excelência Reverendíssima não deixará de apresentar à sua diocese e aos romeiros do Padre Cícero a autentica interpretação da mesma, procurando por todos os meios apoiar e promover a unidade de todos na mais autentica comunhão eclesial e na dinâmica de uma evangelização que dê sempre e de maneira explicita o lugar central a Cristo, principio e meta da História”.

A mensagem lembra, inicialmente, as festas pelo centenário de criação da Diocese de Crato acrescentando “que (essas comemorações) põem em realce a figura do padre Cícero Romão Batista e a nova evangelização, procurando concretamente ressaltar os bons frutos que hoje podem ser vivenciados pelos inúmeros romeiros que, sem cessar, peregrinam a Juazeiro atraídos pela figura daquele sacerdote. Procedendo desta forma, pode-se perceber que a memória do padre Cícero Romão Batista mantém, no conjunto de boa parte do catolicismo deste país, e, dessa forma, valoriza-la desde um ponto de vista eminentemente pastoral e religioso, como um possível instrumento de evangelização popular”.

Padre Cicero3

Lembrando que Deus sempre se serve de pobres instrumentos para realizar suas maravilhas e que todos nós somos “vasos de argila” (2Co 4,7) em suas mãos, o texto afirma, sem dúvida alguma, que Padre Cícero, pelo seu intenso amor pelos mais pobres e por sua inquebrantável confiança em Deus, foi esse instrumento escolhido por Ele. O Padre respondeu a este chamado, movido por um desejo sincero de estender o Reino de Deus”.

Mais conteúdo sobre:

Padre Cícero

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter