sexta-feira, 20 de setembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Juazeiro: centro de cultura popular é reinaugurado

segunda-feira, 29 de julho 2019

Imprimir texto A- A+

Foi reinaugurado o Centro de Cultura Popular Mestre Noza, em Juazeiro do Norte. A entrega do equipamento aos artesãos foi realizada durante solenidade. O espaço, além de ser local de produção artística, também é lugar comercialização das peças artísticas e artesanais, através da Associação dos Artesãos do Padre Cícero. O Centro se tornou, ao longo dos anos, um dos espaços mais importantes da arte nordestina. Ponto que traduz a junção dos ofícios artísticos, através das diversas tipologias, de artistas do Nordeste brasileiro.
Após décadas de trabalho dos artistas, o local voltou a ser visto e valorizado pela atual administração municipal de Juazeiro do Norte, através da Secretaria de Cultura. No Centro, haverá espaço de memória com um dos seus grandes inspiradores, Mestre Noza. Na ocasião de reabertura, terá apresentação da Orquestra Armorial e performance artística.
O equipamento passou por uma reforma que trouxe diversas melhorias que vão contribuir para um maior aproveitamento dos espaços e proporcionar maior conforto para os trabalhadores do local, bem como para o público. O Centro de Cultura Popular Mestre Noza é referência para o comércio de artesanato e um dos cartões de visita de Juazeiro do Norte.
A reforma do espaço é o resultado de uma ação realizada Secult, com envolvimento da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), e da diretoria da Associação de Artesãos que utilizam o espaço para produção, exposição e comercialização de suas obras. O local conta também com investimento do Governo Federal.

Mestre Noza
O pernambucano Inocêncio Medeiros da Costa, nasceu em 1897 na cidade de Taquaritinga do Norte. Chegou em Juazeiro do Norte no ano de 1912 e trabalhou como funileiro e em uma oficina de rótulos. Ainda jovem aprendeu a fazer cabos de revólver e, atendendo a pedidos de romeiros, começou a fazer pequenas esculturas de santos. Envolveu-se com a xilogravura a partir dos 1940 produzindo capas para os folhetos de cordel. Seus trabalhos estiveram em diversas exposições no Brasil e ganharam o mundo quando a partir de 1961, quando teve sua primeira exposição em Paris (França). Em 1965 seu álbum Via Sacra foi editado em Paris. Mestre Noza faleceu em São Paulo, aos 86 anos, no dia 21 de dezembro de 1983.

Dados
A taxa de mortalidade infantil média na cidade é de 11.64 para 1.000 nascidos vivos. As internações devido a diarreias são de 0.9 para cada 1.000 habitantes. Comparado com todos os municípios do estado, fica nas posições 102 de 184 e 99 de 184, respectivamente. Quando comparado a cidades do Brasil todo, essas posições são de 2714 de 5570 e 2577 de 5570, respectivamente.
Em 2016, o salário médio mensal era de 1.8 salários mínimos. A proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de 19.8%. Na comparação com os outros municípios do estado, ocupava as posições 21 de 184 e 12 de 184, respectivamente. Já na comparação com cidades do país todo, ficava na posição 2836 de 5570 e 1291 de 5570, respectivamente. Considerando domicílios com rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa, tinha 42.4% da população nessas condições, o que o colocava na posição 179 de 184 dentre as cidades do estado e na posição 2434 de 5570 dentre as cidades do Brasil.
Apresenta 47.2% de domicílios com esgotamento sanitário adequado, 89.6% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização e 11.6% de domicílios urbanos em vias públicas com urbanização adequada (presença de bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio).

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter