Política
Sexta-feira, 07 de fevereiro de 2014
Os imigrantes silenciosos

Lisboa (Portugal), 8 graus - Os judeus começaram a chegar ao Brasil com Pedro Álvares Cabral, fugindo da fúria da Inquisição portuguesa. Eram portugueses e espanhóis. Mais tarde, vieram da Europa Ocidental, da Europa Central, perseguidos por pogroms, a caça aos judeus promovida pelos governantes que buscavam distrair as atenções da população; e perseguidos pelos nazistas. Veio gente das mais diversas classes sociais. E os imigrantes judeus são invisíveis para a historiografia brasileira. Não há menção sistematizada à imigração judaica nos livros escolares, nem em compêndios universitários.  Quem aprendeu na escola que Fernando de Noronha era judeu? Ou que o padre Anchieta tinha ascendência judaica, até com gente queimada nas fogueiras da Inquisição? Um dos personagens mais populares do Brasil, Sílvio Santos, descende de Isaac Abravanel, um dos mais poderosos ministros da Espanha, no final do império mouro na Europa. E há um só livro que trata desse tema, o magnífico O Baú de Abravanel, de Alberto Dines. A professora Eva Blay, ex-senadora, professora titular aposentada da USP, está resgatando essa trajetória de séculos, tão longa quanto a historia de nosso País: lança O Brasil como destino.

• Nunca foi o contrário. Aí o canelau diz: Pois é, o Padre Zé decidiu ir pra reeleição. Como o Padre Zé jamais falou que não iria para a reeleição, não decidiu nada. Quer e pode continuar deputado federal.

• Pronta pra novo banditismo. Os bandidos que sujaram a estátua de Iracema, na Praia, já podem preparar novas tintas pra esculhambarem de novo. Tá bem limpinha, mas agora tem câmeras vigiando.

• O bicho pegou. Os promotores Lucas Azevedo e Raimundo Parente, mais o juiz Flávio Bezerra são os pais do afastamento de cinco dos nove vereadores do Crato envolvidos numa armadilha contra Samuel Araripe.

• Foi assim...Diz que tem documento guardado a sete chaves provando o envolvimento de vereadores numa “compra” de votos para incriminar Samuel e torná-lo inelegível a deputado.

Emancipalistas armam bote para derrubada do veto

O próximo dia 18 de fevereiro será decisivo para os emancipalistas. Nesta data deverão constar em pauta da sessão especial do Congresso Nacional a apreciação do VETO No 47/2013, que regulamenta o procedimento para a criação, a incorporação, a fusão e o desmembramento de municípios e dá outras providências (artigo 18, § 4o, da Constituição Federal. Corre à boca miúda, que há um sentimento forte entre deputados e senadores para derrubar o veto, inclusive nos partidos da base governistas, como PMDB e o próprio PT. Será o primeiro da era Dilma.

• Sigilento. Como a coisa corre sob segredo de Justiça, não se pode falar muito a não ser dos boatos que já ganharam apelido de Mensalão do Crato. Vixe!

• Já em Juazeiro...O delegado regional, Osmar Berto, está investigando como um notebook que fazia parte de lote que teve a carga roubada foi comprado por um consumidor nas Lojas Americanas desta cidade.

• Ligou falou. O notebook só foi descoberto, porque a empresa fabricante coloca em todos seus aparelhos um gravame (rastreador) para que em casos semelhantes, o aparelho seja localizado ao entrar em funcionamento.

• E foi o que aconteceu. Um morador de Juazeiro do Norte foi surpreendido com a presença de policiais em sua residência. Os policiais estavam à procura do notebook, que acabou sendo apreendido e o seu dono, levado à delegacia para prestar esclarecimentos.

Limpo

Na delegacia, o consumidor provou sua inocência, ao apresentar à autoridade policial a nota fiscal da compra do produto nas Lojas Americanas. O homem tava limpo.
 

Leia mais:

Colunas anteriores deste autor

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Mais informações sobre as opções de formatação

CAPTCHA de imagem
Entre com os caracteres da imagem.