sábado, 17 de agosto de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Promessas de campanha

Fernando Maia

Colunista - Política

terça-feira, 30 de outubro 2012

Imprimir texto A- A+

O deputado Roberto Cláudio responderá aos partidários de soluções políticas para o preenchimento de cargos no primeiro e segundo escalões da prefeitura de Fortaleza, que todos os seus compromissos de campanha serão rigorosamente cumpridos, desde que as indicações para esses cargos obedeçam ao caráter técnico.

A essa tarefa já se entregou desde o anúncio da sua vitória, como uma consequência natural do ajuste dos partidos que o apoiaram. O prefeito eleito não foi ainda diretamente atingido por sondagens em torno do assunto, mas sabe que elas virão.

Em política, prevalece sempre a prática do empreguismo usando-se o diploma da genética para burlar princípios de competência e de ética moral.

Na visita que fez ao O Estado ainda como candidato, afirmou que não se furtaria em compor o seu “staff” com indicações dos partidos aliados, desde que elas não se caracterizassem como um loteamento da Prefeitura para atender a ambições de ordem pessoal. “É claro que não exigiremos o DNA dessas pessoas, mas toda e qualquer forma de nepotismo ou mesmo o habitual apadrinhamento que tem vingado como regra na política, será impeditivo para qualquer nomeação”. Entre os aliados não se leva muito a sério o que foi dito durante a campanha em decorrência do problema da extensão que estaria implícita a adoção de mecanismos de endurecimento para a composição de um regime de coalizão política com 19 partidos.

Argumentam alguns desses aliados que esse discurso era próprio de um candidato que queria impressionar o eleitorado, mas não se aplica bem no pós-eleitoral, defendendo o afrouxamento de regras rígidas para evitar possíveis reações de descontentamento logo no início da gestão.

Se valer o exemplo que implantou na Assembleia Legislativa ao exonerar cerca de l.600 servidores “fantasmas” dos gabinetes dos seus colegas deputados, correligionários e aliados do Senhor Roberto Cláudio devem pôr as barbas de molho.

• Eleição. Movimentam-se setores da CMF para eleger o novo presidente da Casa antes da posse dos novos eleitos. É anti-regimental. Salmito Filho e Elpídio Nogueira, candidatos à presidência pela nova ordem, podem ficar tranquilos.

• Ganho & perdas. Para a jornalista Eliana Cantanhêde (Folha), o PT, arrebatou-se do PSDB a “joia da coroa”, que é São Paulo, não conseguiu impedir que o PMDB e o PSB avançassem sobre os demais estados, deixando o Planalto em suspense, ante a possibilidade de uma aliança PSB-PMDB-2014.

• Dificuldades. Vai haver dificuldades para o alinhamento da Câmara de Fortaleza com o Paço Municipal na gestão Roberto Cláudio. O vereador Acrísio vai disputar a reeleição com o apoio de 30 vereadores eleitos pela base aliada de Luizianne.   

• E as provas.  Ainda no rescaldo da derrota do PT, em Fortaleza, o deputado Eudes Xavier, dileto afilhado de Luizianne, denuncia corrupção na eleição na periferia. Eudes não apresenta provas.

• A propósito…o deputado Antônio Carlos, anunciava que o PT entrará, nas próximas horas com recurso, na Justiça, alegando compra de votos e abuso do poder econômico na eleição de Fortaleza.

• Elas por elas? “Denúncia por denúncia, oficiais da PM, ligados ao PT e aliados, prendiam, arbitrariamente pessoas vestidas de amarelo, cor do PSB”, reage o deputado Sarto (PSB), presidente em exercício da AL.

COROA
  No consulado de Roberto Cláudio, na Prefeitura de Fortaleza, o vereador Leonelzinho perderá a coroa de rei. O deputado Fernando Hugo Colares assumirá o comando da corte com a determinação de promover o bem e a felicidade geral dos súditos da Vila Real de Messejana. 

• Em ação. Mostrando ser rápido no gatilho, o prefeito eleito Roberto Cláudio, irá anunciar sexta-feira, a sua equipe de transição, a ser apresentada à prefeita Luizianne.

• Conciliador. Para o vereador eleito Fábio Braga (PTN), do grupo municipal, Roberto Cláudio, com sua capacidade de conciliação, poderá atrair até petistas para a sua base.

• Bala. Lideranças petistas, mais realistas, reconhecem que a “bala de prata” que abateu a candidatura de Elmano de Freitas, foi o famoso “vídeo do poste de lâmpada quebrada”…
• Sem troca. A respeito da adesão do PCdoB à candidatura de Roberto Cláudio, o deputado Chico Lopes assegura que o seu partido, eticamente,  nada exigiu de troco.

• Crise. Analisando a nova situação do PT nacional e local, o ex-deputado Ciro Gomes afirma que essa sigla, que em grande parte aderiu ao fisiologismo, terminou entrando numa crise ética.

• Partido errou. Sobre a eleição presidencial de 2010, Ciro afirma que o PSB “errou redondamente” ao não disputar, aproveitando aquele momento em que a candidata Dilma era apenas “uma aposta temerária de Lula”.
 

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter