quinta-feira, 27 de junho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Tem alguma coisa errada e não deve ser comigo

Macário Batista

Colunista - Política

sexta-feira, 25 de janeiro 2013

Imprimir texto A- A+

• Estou nesse trabalho de produzir notícias depois de ir atrás delas ou encontrá-las pelo caminho, desde 1960. Profissionalmente, desde 16 de junho de 1962, quando se inaugurou a Rádio Tupinambá de Sobral, apuro, redijo e divulgo o que sei, a mando do patrão, pautado, ou por conta dos ossos do ofício. Pois bem; grande parte desse tempo dediquei a assuntos como irrigação, quase uma fixação por ver no tema uma das soluções para a erradicação da pobreza no campo, fixação do homem à terra e o verdadeiro combate às secas. Por conta disso, sigo os passos do nosso Dnocs, voz, inteligência, braços e mãos desse processo. Era muito menino e vi um primeiro baque com a cheia do Orós, depois remendado e até hoje incólume colosso. Mas, em 1958, veio aquela seca arrasadora e aí soube dos primeiros bandidos ficando ricos tomando de conta dos cassacos da seca, roubando do Dnocs e do povo. Aí vieram tantas bandidagens que conta-se nos dedos as pessoas honoráveis, que passaram por lá, como o grande Zé Osvaldo Pontes, o prof. Cássio Borges, e outros de quem jamais se soube um escorrego. E o Dnocs virou saco de pancadas, saco de dinheiro para cretinos que meteram a mão nos recursos do povo nordestino. Danado é que não é só o Dnocs, não. O Banco do Nordeste, outra instituição muito nossa, tem tido em seus quadros, gente que imita os bandidos do Dnocs, desviando recursos para interesses próprios ou até mesmo usando o velho chavão do desfalque. O BNB que teve em seus quadros gente do quilate de Mauro Benevides, João Melo, Valfrido Salmito em meio a gente irretocável funcional e honestamente, tem sido vítima de malfeitores que políticas escusas e igualmente canalhas, minam suas verdadeiras missões e a honorabilidade de suas origens. A SUudene acabou. Tanto fizeram que rasgaram a galinha e roubaram seu ovário que propunha ovos de ouro para o Nordeste. E etc. e coisa e tal e vai pela aí afora.  Pra quem viu a gravidade de ações sérias nesses e noutros órgãos da administração pública federal, assusta ver o que vem ocorrendo e aí, penso cá com meus frugulhos: tem alguma coisa errada e não deve ser comigo.

• Tá pegando – Nos EUA, o buxixo é o fato de Beyoncé ter dublado o Hino Nacional na posse de Obama. A banda tocou, mas a voz era gravada. Desculpa: nada podia correr o risco de dar errado.  

• Forçando a barra – A Apeoc, Sindicato dos Professores do Ceará, intensificou suas ações, forçando a barra pra cima do novo governo de Fortaleza.

• Medo ou desprestígio – Por temor das ações de Ivo Gomes, secretário de Educação, ou por haver sido desprestigiada, na administração passada, fala sem parar no fortalecimento da categoria.

• Conselheiro do ano –  Ministro das Finanças do Japão diz: Não quero prolongar minha vida ligado a aparelhos. Se tiver uma doença terminal, não quero qualquer tratamento médico pra ficar vivo.

• Por dinheiro –  O tema tratado pelo Ministro japonês não fala de questões humanitárias, mas porque custa muito caro ao Governo. E eu pensando que o homem era bom do juízo.

Homenagem ao Gony
Passo pela 7a Avenida aqui em NY e mando parar a viatura. Um cidadão fantasiado de Flamengo em frente ao Madison Square Gardem. Impossível não fazer a foto. O cidadão é amigo e fã do Gony Arruda, trabalha na área patrimonial do Flamengo, no Rio e pronde vai, com a família, veste o manto sagrado. É o Marinho, diminutivo de Mário.

• Equipe nova – Roberto Cláudio contratou gente nova pra tocar as obras do entorno do Castelão e/ou mobilidade urbana, tudo atrasado com vistas à Copa das Confederações. 

• Tempo novo – Segundo ainda Roberto Cláudio, o tempo para que as obras em referência fiquem prontas é de uma semana antes do primeiro jogo da Copa. Benza Deus e não nos desampare.

• Carnaval em sobral – A festa começa, hoje, com o Encontro dos Blocos: Realce, Abutres, Os Contras, Lero Lero, Eternamente, Os Provetas, Os Metralhas, Reação, Hay Num Hay, Zoeira Bacana, Hary Hary, Intocáveis, Umas e Outras, Desocupados da Esquina e Os Tropicanas.

• Desistindo do trabalho – O presidente do BNB, Joel Lanzarin, decidiu  renunciar aos cachês que recebia por participação no Conselho de Administração das empresas Magazine Luiza e Alelos, administradora de cartões de crédito do Banco do Brasil e Bradesco. 

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter