sábado, 21 de setembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

UM PALPITE INFELIZ

Fernando Maia

Colunista - Política

segunda-feira, 17 de dezembro 2012

Imprimir texto A- A+

A existência de irregularidades cometidas em gestões municipais, tomando como espelho o Ceará, dá motivos a que críticos mais severos reputem o nosso Brasil como o país da impunidade. Os casos são numerosos. Agora mesmo, passadas as eleições municipais, a maioria dos prefeitos eleitos, enquanto prepara as suas festas de posse, perde o sono, sem saber como resolver, logo de saída, os “buracos” deixados pelos antecessores. Contas de convênios a pagar, servidores em atraso, dívidas com fornecedores, calotes na Previdência Social, uso indébito do FGTS dos servidores e fraudes em geral. O cidadão comum, decente, sabe que os responsáveis por desmandos e desmontes, “não correm tão soltos”. Pelo contrário. Há décadas, mesmo com déficit de efetivos e falta de uma estrutura à altura do peso da sua tarefa, o Conselho de Contas dos Municípios vem se desdobrando  no sentido de orientar, oferecer apoio técnico e, quando necessário entregar à Justiça  desmontadores e fraudadores. Mas eles continuam, mesmo com menor intensidade, pisando inclusive sobre a LRF. A quantidade de prefeitos cujas gestões estão sendo devassadas, e não por meras atecnias, mas por atos de improbidade mesmo mostra tal fato.  Há três décadas, quando presidia o TCM, o conselheiro Luís Sérgio Gadelha, diante do “rosário” de denúncias contra prefeitos a cada final de mandato, afirmava que “o vício de cometer ilícitos confiados na lhaneza das penas da Justiça, encoraja os praticantes”. Pelo visto a situação, apesar do empenho daquela Corte, não tem mudado muito.

• Acerto. Mais uma amostra do equilíbrio das atitudes do prefeito eleito Roberto Cláudio: ele desencoraja pessoas convidadas para o seu “staff”, a fazerem alarde sobre o assunto.

• Ainda RC. É tal o esmero do prefeito eleito, em relação ao seu secretariado, que ele só pretende revelá-lo depois de conhecer o diagnóstico da Prefeitura que irá gerir.

• Olímpico. Não parece ter sido de bom alvitre para o PT, rejeitar o que lhe foi oferecido na Mesa Diretora ou Comissões Técnicas da CMF, resolvendo partir para o confronto. O chamado “espírito olímpico”, nesses casos, mais desagrega do que fortalece um Poder.
• Somos civilizados? Pronto! Fortaleza tem um dos mais modernos estádios do Planeta. Parabéns ao governador Cid e sua equipe. Resta saber: quem vai “civilizar” os frequentadores?

• Na mosca! A chance da prefeita Luizianne de mostrar o Hospital da Mulher, foi, com certeza, ser a maior chance para ela ser ressarcida o que gastou naquele equipamento.

• Bandeja de ouro. Para grande parte dos fortalezenses, se a prefeitura Luizianne realizar um belo “Réveillon” estará entregando, em bandeja de ouro, a cidade ao seu sucessor.

É o jeito
Segundo o deputado Danilo Forte (PMDB), se está descartado a médio prazo,  uma reforma política séria e profunda, que a Câmara dos Deputados aprove ainda este ano,  pelo menos medidas que impeçam a proliferação de mais partidos políticos. 

• A propósito…do “enxame” de atuais, e de futuros partidos nanicos, o deputado Fernando Hugo (PSDB) diz que uma saída seria privá-los de Rádio, TV e Fundo Partidário.

• Articulador. Foi decisiva a atuação do vereador Salmito Filho (PSB), na união de vereadores  em torno de Walter Cavalcante dando-lhe condição de ganhar a presidência da CMF.
 
• Urgência. A votação da derrubada do veto aos “royalties” poderá enfrentar mais uma barragem: governistas querem “fazer hora”, com a votação das novas regras do FPE.

• Menos, menos. Embora elogie a intenção da presidente Dilma ao anunciar a construção de novos aeroportos, o deputado Danilo Forte (PMDB) acha que 800 está um pouco demais.
• Pimentel. Os petistas Pimentel (CE) e Delcídio Amaral (MS) disputam palmo a palmo a 1ª Secretaria do Senado, na chapa do correligionário senador Calheiros AL).

• O problema…segundo se comenta em Brasília, é que o senador Luiz Henrique (SC), pode ser a nova preferência da presidente Dilma a quem acompanhou em sua viagem à Europa. 

• Força. O governador Cid, além de atrair a presidente Dilma e um trio de governadores, para a entrega do Castelão, mobilizou também muitas delegações do interior.

• Advertindo. Alerta do presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra: a redução das tarifas de energia, será usada para reeleger a presidente Dilma, eleita pelo “bolsa-família…”
 

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter