sábado, 21 de setembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Agropecuária de baixo carbono: desafio estratégico para o Brasil

segunda-feira, 07 de dezembro 2015

Imprimir texto A- A+

agricultura e sustentabilidade (1)

O aprofundamento da relação entre agricultura, florestas e clima é um desafio promissor para o Brasil cumprir suas contribuições para o acordo do clima (INDC) e caminhar rumo a uma nova economia agrária. Práticas de baixo carbono representam redução de emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE).

Como um dos maiores produtores mundiais de alimentos, o país pode dar exemplo no setor, aliando o aumento da produtividade à mitigação dos gases de efeito estufa. Para que a agropecuária de baixo carbono se torne majoritária, é necessário amplo engajamento de produtores, empresas, governos e, principalmente, consumidores.

Amanhã, dia 7 de dezembro, das 16h às 17h, na Maison de l’AmériqueLatine, acontece o evento Sustentabilidade no uso do solo no Brasil. Participarão do encontro, representantes de várias organizações: Apex-Brasil, Business France, Coalizão Brasil, Embaixada Brasileira, Sociedade Rural Brasileira (SRB), Associação da Indústria de Cana-de-Açúcar (Única), Climate Policy Initiative and Crédit Agricole.

A Coalizão Brasil salienta que agropecuária e questões ambientais e climáticas são complementares e não competem pelo mesmo espaço. Desse modo, só será possível tornar a relevância da agropecuária realmente decisiva para o desenvolvimento regional se o país estiver dentro de novos parâmetros que integram meio ambiente, produção de alimentos e qualidade de vida.

O QUE: O Brasil é um dos produtores de alimentos mais sustentáveis do mundo e, com mais investimentos, pode continuar a ter esse título. Basta conciliar a produção com preservação. Nesse debate, haverá apresentações sobre o papel do agronegócio brasileiro no cenário internacional.

PORQUE: A INDC brasileira inclui restauração e reflorestamento de 12 milhões de hectares, recuperação de 15 milhões de hectares de pastagens degradas e a implantação de 5 milhões de hectares de integrações agro-silvo-pastoril. O agronegócio brasileiro representa 27% das emissões de gases de efeito estufa do país (dados SEEG 2015), portanto, grande desafios e oportunidades estão por vir.

Palestrantes: Aurelio Padovesi (WRI), Elizabeth Farina (UNICA), Francisco Beduschi (GTPS), Gustavo Junqueira (SRB), Marcello Brito (Associação Brasileira de Agribusiness – ABAG), Pedro Taques (governador do estado do Mato Grosso), Roberto Waack (Amata), Thomas Heller (Climate Policy Initiative)

QUEM: Apex-Brasil, Business France, Coalizão Brasil, Embaixada Brasileira, Sociedade Rural Brasileira (SRB), Associação da Indústria de Cana-de-Açúcar (Única), Climate Policy Initiative and Crédit Agricole

QUANDO e ONDE: 7 de dezembro, das 16h às 17h, na Maison de l’AmériqueLatine, 217 Boulevard Saint-Germain, 75007, Paris.

*Com informações da Coalizão Brasil.

Mais conteúdo sobre:

acordo COP 21 Agricultura

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter