sexta-feira, 20 de julho de 2018.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Cruzeiros marítimos ganham mais espaço no Brasil

quarta-feira, 16 de maio 2018

Imprimir texto A- A+

A expansão do setor de cruzeiros marítimos no Brasil foi o principal assunto debatido no Ciclo de Palestras, uma iniciativa da Fecomércio-CE, através do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur). Na oportunidade, falou-se também sobre as perspectivas do setor em nível mundial. De acordo com Marco Ferraz, presidente da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Abremar), os cruzeiros marítimos atraem riquezas para os países por onde passam, bom exemplo disso é que, em 2016, o segmento gerou um impacto econômico no mundo de US$ 126 bilhões. Afinal, tratam-se de turistas qualificados, com elevado poder aquisitivo, que gastam bastante nos lugares onde os navios aportam, pois dispõem de hospedagem, alimentação e bebidas a bordo.

O evento, realizado ontem, deu a oportunidade para as instituições ligadas aos setores de turismo, eventos e hotelaria saberem mais sobre esse segmento tão promissor para o Ceará, que deverá vir a ser o porto de entrada da América do Sul já a partir da temporada 2019/2020, pois o Porto do Mucuripe será dragado, possibilitando que embarcações de grande porte atraquem com maior facilidade na capital cearense. Marco Ferraz, apresentou a atual conjuntura dos cruzeiros no Brasil e como esse setor pode evoluir, incluindo Fortaleza como um dos destinos promissores desse mercado.
Segundo Marco Ferraz, a crise financeira no País, aliada ao crescimento de outros destinos como China e Austrália, contribuíram para a diminuição no número de cruzeiros no Brasil, que passou de 20 para sete. Porém, ele afirma que essa fase vem sendo superada e o setor está se reerguendo, com um crescimento de 15% nessa temporada, destacando que daqui para a frente a perspectiva é de haja ainda mais expansão do número de operações no País.

Crescimento
“Nessa temporada estamos começando a ver um cenário positivo no Brasil, juntamente ao crescimento mundial do setor de navios de cruzeiros. Tivemos 25 milhões e 700 mil cruzeiristas no ano passado, e a expectativa é de 27 milhões e 200 mil para este ano”, comemorou. Além disso, Marco Ferraz informa que 100 navios estão em construção, e logo eles vão precisar de destinos interessantes para atracar. “Serão mais 750 mil leitos para serem vendidos no mundo todo, e se fizermos nosso trabalho aqui, a gente consegue atrair um pouco mais de navios para o País”, observou.

Sobre Fortaleza, Marco Ferraz atesta que a cidade é um ativo que o País tem, por ter uma posição geográfica privilegiada e, agora, por contar com o Hub (centro de conexão de voos) da Air France-KLM-Gol, com novos voos ligando Fortaleza à Europa. Tudo isso contribui, de acordo com ele, para incluir a capital cearense na rota dos cruzeiros marítimos, seja como uma escala ou mesmo como ponto de partida dos navios transatlânticos.

Ele afirma que o setor é promissor e interessante, pois somente com o navio se tem, em um mesmo local, entretenimento, hospedagem, alimentação e transporte. Segundo a presidente do Cetur, Circe Jane Teles, o Ciclo de Debates traz um olhar diferenciado de quem é experiente em cada assunto abordado. Sobre o tema cruzeiros marítimos, ela observou que a palestra trouxe um olhar real sobre o atual cenário desse setor, contribuindo para o desenvolvimento do segmento do turismo, eventos e hotelaria.
Após a fala de Marco Ferraz, Circe Jane abriu o debate e perguntas da plateia sobre o tema, a fim de que todos pudessem retirar suas dúvidas. O evento contou com a participação da secretária de Estado Adjunta de Turismo, Denise Carrá; do secretário de Turismo de Fortaleza, Régis Medeiros e da coordenadora de Comunicação e Marketing da Companhia Docas, Marjorie Marshall.

outros destaques >>

Facebook

Twitter