terça-feira, 6 de dezembro de 2016.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Energia solar oferecida para empresas sem custo inicial

segunda-feira, 31 de agosto 2015

Imprimir texto A- A+

O Café Tecnológico, promovido pela Associação Empresarial de Indústrias (Aedi), recebeu, no Sesi de Maracanaú, os representantes da empresa Helio Energias Renováveis, que levaram aos associados a possibilidade de economizar até 20% em suas contas de luz, através da instalação de um sistema de captação de energia solar (fotovoltaica). O grande detalhe da proposta apresentada aos empresários foi a completa ausência de necessidade de despender recursos, por parte deles, uma vez que a Helio realizará 100% do investimento, desde as placas de captação, instalação e manutenção, contando inclusive com um seguro contra acidentes. Essa proposta foi vista de maneira positiva pelo presidente da Aedi, Adriano Sampaio Borges, bem como pelos empresários que participaram do evento.

Trata-se de uma espécie de aluguel dos equipamentos, com contratos de 20 anos, renováveis duas vezes por períodos de cinco anos, através do qual os empresários que optarem pelo sistema, poderão ter seus custos com energia reduzidos significativamente, proporcionando a eles a oportunidade de focarem os recursos disponíveis ou captados junto a instituições de crédito, apenas em seu negócio. De acordo com Tâmara Cidade, diretora e proprietária da Helio Energias Renováveis, o equipamento tem durabilidade de 40 anos. “Por isso, faremos contratos com 20 anos de duração, uma vez que obtemos recursos internacionais para financiar os equipamentos e precisamos de um tempo mínimo para pagá-los e obtermos nosso lucro. E após os 20 anos, nossos clientes podem optar pela compra dos mesmos”, explicou.

 

Oportunidade

De acordo com o gerente de operações da Helio Energias, Daniel Pinto, o custo da energia elétrica tem um impacto muito forte nos custos de produção das empresas brasileiras, especialmente devido à utilização das termelétricas, que gerou a bandeira vermelha, aumentando ainda mais a conta de luz. Isso porque os custos das térmicas (chega a mais de R$ 1.000,00 o megawatt-hora) chega a ser mais de dez vezes superior aos das hidroelétricas (R$ 80,00 o mW/h). Ele explicou que a Resolução 482 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), prevê que haja um sistema de compensação de energia, isenção de ICMS sobre a energia excedente e até 36 meses para compensá-la. “Nosso sistema permite a redução de custos, em até 20% da tarifa da concessionária, em cima da produção. Com a utilização de nosso sistema, além de ser sem investimento inicial para vocês (empresários), não descapitalizando-os, permitirá foco da empresa em seus produtos, despreocupação com garantia e manutenção dos equipamentos e sem necessidade de linha de crédito”, explicou Daniel.

Outra vantagem destacada pelos representantes da empresa de energias renováveis diz respeito à maior segurança que os clientes terão, ao poderem adquirir a energia que necessitam da concessionária, no caso do Ceará, a Coelce, com um desconto significativo no custo desse insumo, ao invés de terem de recorrer ao mercado livre, que possui alguns riscos e está com preços pressionados. “Para valer mais a pena para nós e nossos clientes, é interessante que as empresas tenham uma conta de energia com valor acima de R$ 10 mil. Mas há alguns casos específicos que podemos fazer uma negociação que se adapte a ambos. E vale lembrar que qualquer custo com instalação, manutenção e operação será feita por nós, permitindo aos empresários focarem seus recursos e esforços no seu negócio, como estoque, melhorias aos colaboradores ou investimento em novos equipamentos”, completou Tâmara Cidade.

outros destaques >>

Facebook

Twitter