quarta-feira, 17 de outubro de 2018.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Massas e biscoitos podem ficar até 11% mais caros a partir de junho

quarta-feira, 18 de maio 2011

Imprimir texto A- A+

O consumidor já pode começar a se preparar para gastar um pouco mais na aquisição de determinados alimentos. De acordo com o diretor corporativo do Grupo M. Dias Branco, Eugênio Pontes, a partir de junho, biscoitos, bolachas e massas terão um aumento de preços entre 6% e 11%. O encarecimento desses produtos é consequência do alto preço do trigo que, se não for reduzido, também provocará aumento de preços nos pães, a partir de julho.

Conforme Eugênio Pontes, atualmente, a tonelada do trigo está custando, em média, US$ 360,00, valor considerado bastante alto. “O preço do trigo está muito alto e se não houver mudança não há dúvida que os derivados, como pão, macarrão, biscoito e bolacha terão preço mais alto”, destaca, acrescentando que, no momento, não existem perspectivas de que o preço do trigo caia nos próximos meses, uma vez que a oferta do produto não é suficiente para suprir a demanda.

“Até o final deste ano, o preço do trigo deve continuar alto, pois a safra no Brasil continua muito inferior ao consumo e os Estados Unidos, que é um dos exportadores, está tendo crise na produção devido ao excesso de chuva. Apesar disso, acreditamos que não teremos problema de desabastecimento de trigo no Brasil”, explica.

PRODUÇÃO
O diretor do Grupo M. Dias Branco informa que, anualmente, o Brasil produz cerca de cinco milhões de toneladas de trigo, enquanto o consumo chega perto de 11 milhões de toneladas. Para suprir o restante da demanda, o Brasil importa trigo de diversos países, entre eles, a Argentina, Uruguai, Estados Unidos e, em alguns casos, Rússia.
 

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter