32 C°

domingo, 17 de dezembro de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Produção de veículos sobe 27,1%

quinta-feira, 07 de dezembro 2017

Imprimir texto A- A+

A produção de veículos cresceu 27,1% entre janeiro e novembro na comparação com o mesmo período de 2017. O dado foi divulgado, ontem, pela Associação Nacional dos. Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), entidade que representa as montadoras instaladas no Brasil. Foram fabricadas 2,46 milhões de unidades nos 11 primeiros meses do ano. A conta inclui carros de passeio, comerciais leves, caminhões e ônibus.

O setor de caminhões teve o melhor resultado dos últimos dois anos, com crescimento de 8,8% nas vendas em comparação a outubro e de 44% sobre novembro de 2016. Caso dezembro repita o bom resultado, a recuperação no segundo semestre deve reverter o resultado negativo do ano, que acumula queda de 0,5%. Contudo, o segmento ainda está distante do ponto de equilíbrio. “Ainda temos uma capacidade ociosa de 45% na indústria e de 75% especificamente no setor de caminhões”, diz o presidente da entidade, Antônio Megale.

Crescimento
Segundo o dirigente, no acumulado do ano, as exportações cresceram 49%. “Tivemos um mês excepcional em novembro, com 73 mil unidades exportadas e 700 mil no acumulado do ano, que é recorde para o período”, disse Megale. De acordo com o executivo, esse resultado tende a melhorar com o fechamento do acordo comercial com a Colômbia, que deve ocorrer em dezembro.

Os emplacamentos seguem em alta, com crescimento de 9,8% no acumulado de 2017 (janeiro a novembro) em relação a igual período de 2016. O cálculo divulgado pela Fenabrave (associação dos distribuidores de veículos) considera as vendas de carros de passeio, comerciais leves, ônibus e caminhões. O Chevrolet Onix permanece na liderança entre os automóveis, com 18.611 unidades licenciadas em novembro. O Ford Ka fechou o mês na segunda posição (9.067), seguido de Hyundai HB20 (8.527). Segundo a Anfavea, os estoques são suficientes para 34 dias de vendas.

outros destaques >>

Facebook

Twitter