26 C°

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Faz diferença, sim! Saiba como escolher a taça certa para o seu vinho

segunda-feira, 03 de julho 2017

Imprimir texto A- A+

Exagero? Frescura? Nada disso: o tipo de taça realmente faz diferença na hora de servir e degustar um vinho. Cada copo é especialmente projetado para destacar as características de um tipo específico de bebida.

“Para uma ocasião realmente especial, com um rótulo mais caro ou importante, vale a pena investir em uma taça específica, para saborear tudo o que o vinho tem para oferecer. Mas, para o dia a dia, é possível apreciar um bom vinho sem tanto equipamento”, explica Tom Martins, sommelier do restaurante francês La Casserole, em São Paulo.

Reprodução

Ao invés de se equipar com vários copos, o sommelier recomenda aos iniciantes fazer um investimento em boas taças de cristal ao invés de vidro comum – a fineza do cristal ajuda a apreciar melhor a sensação da bebida nos lábios. Confira abaixo os modelos mais indicados para começar a montar o “arsenal” em casa e um brinde!

Reprodução

 

Taça Bordeaux

Com um bojo grande e bordas mais fechadas, a taça Bordeaux foi criada pensando-se nas características do vinho tinto produzido com esse tipo de uva, como Cabernet Sauvignon e Merlot. O formado da taça impulsiona a bebida pra a ponta da língua. “Para começar a montar a coleção de copos, é esse o tipo de taça que eu recomendaria”, explica Tom. “Você pode apreciar tranquilamente um Malbec ou um Syrah com uma taça destas, por exemplo.”

 

 

 

 

 

Taça Borgonha

Já a taça Borgonha é projetada para que o vinho vá para o meio da língua, onde é possível notar melhor as notas maduras de vinhos mais complexos, como Pinot Noir, Barolo ou Rioja. O bojo maior, no formato de balão, dá mais contato da bebida com o ar, ampliando seus aromas.

 

 

 

Reprodução

 

 

Taça para vinho branco

A taça para vinhos brancos projeta o líquido para as laterais da língua – é por lá que se nota a acidez característica da bebida. A estrutura do copo também leva em consideração detalhes que ajudam a apreciar melhor o vinho: o bojo é menor para manter o líquido em temperatura constante (mantendo, assim, a bebida mais fresca) e a haste, maior do que a das taças de vinho tinto, mantém as mãos longe do bojo, evitando aquecer a bebida.

 

 

Reprodução

 

Taças flûte

Existem dois tipos de taça para champanhes, cavas e outros tipos de espumantes. A mais conhecida do público é a flûte, mais comprida e fina – ela é desenhada assim para manter todas as bolhinhas características da bebida.

 

 

 

 

Reprodução

 

 

Taças vintage

O outro tipo de taça associado aos espumantes é chamado de vintage ou coupe, que muita gente associa com festas refinadas. Mais bojuda e larga, ela concentra mais os sabores da bebida, mas não segura o “perlage” (o nome técnico das bolinhas do espumante) por muito tempo.

 

 

 

Reprodução

 

 

 

Taça de vinho do Porto

Vinhos fortificados, como Porto e xerez, são servidos em taças bem pequenas. O design empurra a bebida para a ponta da língua, onde dá para sentir a doçura característica deste tipo de bebida.

 

 

 

Fonte: UOL

Mais conteúdo sobre:

Vinho Taças

outros destaques >>

Facebook

Twitter