quarta-feira, 26 de junho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Arboviroses: como se proteger das vilãs do verão

terça-feira, 15 de dezembro 2015

Imprimir texto A- A+

mosquitos-da-dengue

Queimaduras, insolação, micoses e desidratação. Esses são alguns problemas de saúde típicos da estação, mas não são os únicos vilões dessa época do ano. As mudanças climáticas e os períodos de grandes chuvas que ocorrem durante a estação mais quente do ano favorecem a ocorrência e o crescimento das arboviroses, doenças virais que são transmitidas ao homem por meio de mosquitos. Democráticas, as arboviroses afetam toda a população, inclusive as crianças. Por isso, antes de programar as férias para curtir a praia, piscina, sol e calor, o médico infectologista Kleber Luz, do Departamento de Infectologia da UFRN, explica melhor sobre essas doenças e como prevenir-se delas.

Mas o que são as arboviroses?

“São as doenças transmitidas ao homem por picadas de mosquitos. Em todo o mundo, a arbovirose que mais faz vítimas é a dengue, mas outras doenças, como chikungunya e zika vírus, crescem a cada ano”, esclarece o Dr. Kleber. Elas são transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti infectado e, menos comumente, pelo Aedes albopictus.

Quais são as arboviroses mais populares e qual é a diferença entre elas?

Dengue

A mais conhecida das três arboviroses, possui como sintomas mais comuns febre alta, cansaço excessivo, dores de cabeça, atrás dos olhos e no corpo, náuseas e vômitos.

Chikungunya

Apesar de ter sintomas parecidos com a dengue, a grande diferença da febre Chikungunya está no seu acometimento das articulações: o vírus afeta as articulações dos pacientes e causa inflamações com fortes dores, podendo ser acompanhadas de inchaço, vermelhidão e calor local.

Zika Vírus

Causada pelo vírus ZIKA, tem sintomas semelhantes aos da dengue, como febre, diarreia, náuseas e mal-estar. Porém, a grande diferença da doença é a erupção cutânea (exantema) acompanhada de coceira intensa no rosto, tronco e membros, podendo atingir a palma das mãos e a planta dos pés. Fotofobia e conjuntivite são outros sinais da infecção causada pelo vírus. Assim como nas outras doenças, pessoas de qualquer idade ou sexo podem ser afetadas pelo vírus, mas os sintomas tendem a ser mais intensos em crianças e idosos.

Prevenção ainda é o melhor caminho

Observar se o local aonde vai ficar durante o período de férias é arejado e sem focos de água parada são os principais cuidados que todos – em especial, mães e pais de filhos pequenos – devem adotar. Caso note sintomas como dor no corpo, vermelhidão e febre, a recomendação é procurar o atendimento médico o mais rápido possível, hidratar-se, tomando líquidos, e repousar. O tratamento sintomático também é indicado, sendo Paracetamol a droga de escolha.

Como tratar os sintomas em crianças?

Em um cenário atual onde além de condições climáticas propícias há acúmulos inapropriados de água, que servem como criadouros para os mosquitos, as crianças são um grupo extremamente vulnerável.  De acordo com o médico infectologista Kleber Luz, “nos oito primeiros meses de 2015, houve 1,4 milhão de casos da doença no país. Grande parte deste número é constituída de recém-nascidos e crianças. Por isso, além do diagnóstico precoce, que é essencial no tratamento destas três doenças, o uso do medicamento correto para alívio sintomático é importante”.

Segundo o especialista, é preciso ter em mente que a medicação infantil e a adulta diferem em dosagem e concentração, e que, por isso, é importante respeitar a dosagem indicada para cada medicamento e sempre buscar uma recomendação médica. “Mesmo diante de um quadro clínico como dengue ou chikungunya, a medicação infantil não pode ser aumentada – qualquer remédio, quando aplicado em superdosagem, faz mal e pode somar aos problemas já existentes ao invés de trata-los”, explica o infectologista.

O paracetamol, princípio ativo do TYLENOL®, é o único reconhecido pelo alívio de sintomas de resfriados e doenças respiratórias, mas que também traz o mesmo benefício a pacientes sofrendo por conta da dengue e outras arboviroses como chikungunya e zika vírus. Embora não seja uma forma definitiva de tratamento, essa medicação alivia os sintomas de dor e febre. É necessária, no entanto, a atenção na dosagem: o público infantil deve consumir uma quantidade menor do produto – entre 10 e 15mg por quilo da criança, de seis em seis horas.

Vale ainda lembrar que, segundo o Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde, os medicamentos mais indicados para eliminar os sintomas das arboviroses são os a base de paracetamol, pela segurança que a molécula apresenta.

 

Mais conteúdo sobre:

Carbono

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter