domingo, 19 de maio de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Carnaval é uma das festas que mais preocupa profissionais da saúde

quinta-feira, 21 de fevereiro 2019

Imprimir texto A- A+

O Carnaval de 2019 tem tudo para ser o mais animado, mas como diz o ditado: nem tudo é festa.  Em 2018, as capitais São Paulo e Rio de Janeiro registraram mais de 3.800 atendimentos médicos, segundo informações das secretarias de saúde municipais. Este ano, com a expectativa de aumento do número de foliões, médicos e enfermeiros se preparam para um índice ainda maior de emergências.

Reprodução

Dados mostram que as equipes de saúde realizaram 2.941 atendimentos no Carnaval de Rua na capital paulista e 389 nos dois dias de desfile no sambódromo. No Rio, 524 pessoas precisaram de cuidados na Sapucaí.

Dentre as causas mais frequentes de mal-estar estão, além do consumo de bebidas alcóolicas e substâncias ilícitas, picos de hipertensão, torções e as altas temperaturas.

O calor, se continuar nesse ritmo, pode fazer muito folião dançar (no mal sentido).  As máximas diárias superando os 30 º C, em São Paulo e Salvador, e os registros de 41º C, no Rio, segundo dados da Climatempo, servem de alerta para todo folião. Em meio à multidão, a sensação térmica aumenta consideravelmente.

Além disso, aos despreparados, problemas musculares também ameaçam acabar com a festa.

Por isso, para entrar de cabeça na festa e, destacar-se em meio à multidão, é preciso mais do que samba no pé: tem que ter preparo físico e outros cuidados com o bem-estar.

“Quem vai participar do Carnaval, precisa preparar o corpo para horas de movimentação, longos períodos em pé e considerar que as ruas e calçadas estão cheias de obstáculos. Então, é importante fazer um condicionamento físico antes priorizando membros inferiores, coxa e panturrilha. Durante o percurso, fazer pausas e usar o meio fio para alongar a perna e girar os pés no chão (movimentos circulares com as pontas dos pés) para acionar a panturrilha, ajudam. Quando ela está tensionada, qualquer movimento pode provocar uma lesão”, destaca Ricardo Nakai, educador físico e diretor de treinamentos e desenvolvimentos da Akmos, onde criou o programa Impakt60, que reúne pilares para mudança de hábitos e emagrecimento em apenas 60 dias.

Cuidados com a dieta também são fundamentais para curtir a maratona sem sofrimento. Os foliões podem perder até mil calorias nos quatro dias de evento e o desgaste resulta em desmaios. “É importante, optar por alimentações leves. Alimentos como arroz, pães e massas integrais possuem carboidratos complexos (com fibras) e fazem com que a energia seja liberada aos poucos no corpo. O segredo também é se hidratar com isotônicos e água. Quem consome bebidas alcóolicas tem que redobrar os cuidados porque o álcool provoca um processo de desidratação”, recomenda Nakai.

Para minimizar os efeitos da folia entre um dia e outro, mesmo que o tempo de descanso seja curto, algumas dicas são fundamentais para se recuperar para o próximo dia. “Quanto maior o consumo de água e isotônicos, mais rápida a recuperação.  Incluir na dieta suplementos multivitamínicos, com vitaminas B, como o Jumper Energy Power e bebidas detox, como o Leev Tea, um chá instantâneo, que pode ser preparado quente ou frio e limpa o organismo daqueles excessos, também ajudam no processo. É claro, quem tem uma vida saudável, sente menos cansaço, descansar melhor e tem mais disposição para curtir”, destaca Nakai.

Importante também é proteger a pele do forte calor com a aplicação de filtro solar regularmente. A prática, aliada à alimentação balanceada, hidratação e cuidados com o consumo de bebidas alcóolicas ajudam a evitar vexames e não passar o Carnaval em frente à TV. Resumindo: a vida de folião não é fácil.

Atualizado por Natasha Ribeiro
natasha@oestadoce.com.br
Fonte: Ass. de Imprensa

Mais conteúdo sobre:

Saúde Cuidados Carnaval

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter