terça-feira, 17 de setembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Pediatra explica a importância da vacinação contra o sarampo em período de surto

sexta-feira, 23 de agosto 2019

Imprimir texto A- A+

Para tentar combater a disseminação do vírus do sarampo no Brasil, o Ministério da Saúde orientou, nesta semana, que todas as crianças entre seis e onze meses de idade sejam vacinadas contra a doença. Uma dose complementar para essa faixa etária, que representa um grupo mais vulnerável e com maiores riscos de complicações, será ofertada.

Reprodução

De acordo com a pediatra Vanuza Chagas, anteriormente a indicação da vacinação era apenas para os bebês que fossem viajar para áreas de risco, mas diante do surto que já se aproxima do Nordeste é preciso proteger um maior público. Uma pessoa infectada com a doença pode transmitir para 90% das pessoas próximas que não estejam imunes.

A médica alerta que os adultos também devem procurar saber da sua situação vacinal e se imunizarem nas unidades de saúde ou clínicas de vacinação: “a única forma de combater o sarampo é tomando a vacina”, disse. Além de proteger contra o sarampo, a vacina tríplice viral imuniza contra caxumba e rubéola.

Transmissão

O sarampo é doença de transmissão respiratória, consequentemente, de extrema complexidade à contenção da situação viral. Os sintomas, muitas vezes, se confundem com os de uma gripe: tosse, coriza, olhos inflamados, dor de garganta e febre.

Neste segundo semestre de 2019, São Paulo registrou o surto já tendo contabilizado, atualmente, 1.662 casos em 74 municípios do estado. Rio de Janeiro, Pernambuco, Goiás, Maranhão, Paraná, Rio Grande do Norte, Bahia, Piauí e Sergipe são outras localidades que já registraram a doença nos últimos dias.

Atualizado por Natasha Ribeiro
natasha@oestadoce.com.br
Fonte: Ass. de Imprensa

Mais conteúdo sobre:

Vacinação Surto Pediatra

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter