sexta-feira, 19 de abril de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Clássico paulista tem seca de gols e baixa qualidade

segunda-feira, 15 de abril 2019

Imprimir texto A- A+

Com a marcação prevalecendo e pelo menos duas boas defesas de Cássio durante os 90 minutos, São Paulo e Corinthians empataram por 0 a 0, no Morumbi, pelo jogo de ida da final do Paulista. A escassez de gols no primeiro jogo da decisão do Estadual já havia acontecido durante a fase semifinal, quando apenas quatro foram anotados em quatro confrontos.

Assim, a média somadas as duas últimas fases é de 0,80 por confronto. Na classificatória e nas quartas de final, a média foi de 2,16 gols. É a pior média em semifinal e final do século do Estadual paulista. Antes, a marca negativa mais foi registrada em 2018, quando apenas oito gols foram feitos em seis jogos – corresponde a 1,33.
Para conquistar o título e não escrever mais uma marca negativa, os dois times terão que procurar alternativas ofensivas para conquistar a vitória no segundo confronto, marcado para o próximo domingo, no Itaquerão. Em caso de empate, o campeão será conhecido nas cobranças de pênaltis.

O Corinthians, que busca o tricampeonato consecutivo, tem um retrospecto favorável com Carille no comando quando decide em seu estádio no Paulista. Em seis ocasiões, o clube jamais foi eliminado – conseguiu a classificação ou foi campeão, como aconteceu em 2017.

Já o São Paulo terá que quebrar tabus para levantar a taça na casa do adversário. Neste ano, sequer triunfou em um clássico. São três derrotas (Santos, Corinthians e Palmeiras, pela fase classificatória) e três empates nos últimos jogos. Nos seis confrontos, marcou apenas um gol.

Para quebrar a sequência, o São Paulo terá que melhorar a pontaria. Neste domingo, Cuca tentou buscar a vitória desde o início e escalou um time mais ofensivo. Sem o atacante Pablo e o meio-campista Liziero, vetado pelo departamento médico momentos antes do jogo, o treinador optou por Everton e Gonzalo Carneiro. Assim, o time tricolor jogou no esquema 4-1-4-1. O volante Luan foi o único com característica mais defensiva no meio de campo.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter