30 C°

quarta-feira, 28 de junho de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Leão e Ferrão: ninguém quer ser favorito na briga por final

quarta-feira, 19 de abril 2017

Imprimir texto A- A+

O Clássico das Cores decisivo, o jogo final, o último encontro entre os tricolores cearenses, o duelo entre grandes rivais que definirá quem seguirá rumo à grande final estadual e quem ficará pelo caminho. Assim será a partida – a terceira nessa fase de semifinal – entre Fortaleza e Ferroviário, logo mais, às 21h45, na Arena Castelão. O Tubarão da Barra do Ceará entra em campo precisando de um empate para avançar na competição – já que nos dois primeiros confrontos venceu um e empatou outro –, enquanto para o Leão do Pici só a vitória tem valor, para ainda levar o embate às cobranças de pênaltis.

O Tricolor de Aço é quem vai a campo com a missão mais complicada, mas isso não parece atrapalhar a confiança do elenco leonino e nem de sua comissão técnica. Nem mesmo os contratempos extracampo parecem tirar a concentração, pelo menos é o que garante o técnico Marquinhos Santos.

Extracampo
“Nós sabemos que todo o profissional gosta de ter os seus vencimentos pagos em dia, claro, é normal, mas agora isso é o que menos importa. Nosso foco está na decisão de quarta [hoje], nossa atenção tem que estar voltada para os 90 minutos em campo. Precisamos estar muito bem concentrados, deixar que nada interfira nossa condição. Uma vitória e classificação para a decisão, é isso, todos saem vitoriosos, a confiança aqui é total, podem ter certeza”, disse o comandante.
O fator extracampo que ficou intrínseco na declaração de Marquinhos foi justamente a polêmica com relação aos supostos atrasos salariais no Parque dos Campeonatos que surgiu nos últimos por conta da declaração pública do empresário do meio-campista Cássio Ortega, que não vem tendo grandes oportunidades com o treinador. A informação, negada a princípio pelo clube, foi confirmada posteriormente pelo diretor de futebol Marcelo Paz.

Favorito é lá
Apesar disso, o Fortaleza seguiu sua preparação para a disputa com o rival de três cores. A principal novidade é a presença de Lúcio Flávio no time titular, na vaga do suspenso Zé Carlos. “Eu entro com toda confiança possível, atuando ao lado do Zé a gente dividia a responsabilidade, agora que irei substituí-lo vou com a mesma gana, mesma vontade. Jogarei mais a frente, mais fixo. Confio demais nos meus companheiros, vamos fazer um grande jogo e quero fazer gols para ajudar o Fortaleza a ir à final cearense”, explicou o novo titular leonino. O lateral-esquerdo Allan Vieira também é desfalque, já que se desligou do clube ontem.

Talvez por estratégia ou por realmente entender a dificuldade de reversão da vantagem, Marquinhos Santos fez questão de deixar todo o favoritismo para o adversário. “O Ferroviário é o favorito, comigo não tem papas na língua, os resultados atestam isso, comprovam. Pelo que o adversário construiu nas últimas partidas, pelo que tem em mãos, fez quatro pontos e nós um, entram diante de nós como favoritos sim. Mas vamos lutar, temos a camisa pesada e somos os atuais bicampeões, tem um time competitivo, mas favorito não”, exclamou.

É deles: Vladimir de Jesus rebate e diz que Leão é favorito
O time de Vladimir de Jesus encerrou suas atividades e agora espera pelo confronto decisivo de hoje. A equipe trabalhou no campo da Igreja Batista Central, com direito a uma dinâmica de grupo após o fim dos trabalhos, com intuito de estimular a união entre os atletas, buscando descontrair e tirar um pouco o peso do encontro que definirá um dos finalistas do certame.

Sem poder contar novamente com o zagueiro Tony Belém, que sentiu dores na panturrilha e já está em tratamento no Departamento Médico, e com o meia Mimi – herói da última partida ao marcar o gol salvador nos últimos minutos – suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o treinador deve mandar a campo uma equipe mais precavida.

Ao falar de favoritismo, Vladimir fez questão de rebater o treinador do lado oposto e empurrou a responsabilidade para o Pici. “Pela história recente do Fortaleza, por ser bicampeão do estado, o nosso adversário é o favorito para o jogo, peso de camisa, tradição, tudo isso tem de ser levado em consideração. Eles são os favoritos. Entretanto, tudo o que o Fortaleza possui não é maior do que os nossos sonhos, o sonho de voltar à final cearense e ser campeão”, destacou.

outros destaques >>

Facebook

Twitter