sexta-feira, 20 de setembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Por que Jesus, artilheiro da Era Tite, será banco do Brasil na Copa América

terça-feira, 11 de junho 2019

Imprimir texto A- A+

Apesar de ser o artilheiro da seleção brasileira desde a chegada de Tite, Gabriel Jesus começará a Copa América entre os reservas e aceitou bem a situação. O treinador elogiou a boa fase vivida pelo atacante com a camisa verde e amarela, mas elencou alguns motivos para colocar Roberto Firmino entre os 11 que entrarão em campo contra a Bolívia na próxima sexta-feira (14), na estreia da competição.

Com 16 gols desde a saída de Dunga, em 2016, a revelação palmeirense supera até Neymar, que tem 14 no mesmo período e não disputará a competição. São cinco gols nos últimos três duelos. Pelos respectivos clubes, Jesus também tem números superiores: são 21 gols em 47 partidas, contra 16 tentos em 48 partidas de seu concorrente.

Reprodução

Apesar disso, Tite adota uma filosofia de não tirar a titularidade de atletas que precisam ir ao departamento médico. Na sua lógica, todos recebem uma nova chance de mostrarem que merecem ficar na equipe quando recuperam 100% de suas condições. Roberto Firmino só não começou contra Honduras porque ainda sente efeitos de uma lesão muscular.

O atacante do Liverpool atuou por 35 minutos no amistoso do último domingo (9) e fez um gol. A tendência é que ele tenha condições de jogar a maior parte dos 90 minutos na sexta-feira.

Além disso, Roberto Firmino tem a maior conquista da carreira recentemente, ao vencer a Liga dos Campeões. Aos 27 anos, ele participou de 12 jogos da maior competição de clubes do mundo e fez quatro gols. Ao lado de Alisson, eles desembarcaram na seleção brasileira com a confiança em alta.

Também é importante destacar que Firmino será o atacante mais velho da equipe, dando um pouco mais de experiência ao setor que terá Richarlison e David Neres, ambos com 22 anos, mesma idade de Gabriel Jesus.

No aspecto tático, a comissão técnica também entende que Roberto Firmino oferece um pouco mais de variação. Além de comandar o ataque, ele pode funcionar como armador em determinadas situações.

Curiosamente, a briga é um repeteco do que a seleção brasileira presenciou na Rússia, em 2018. Na ocasião, Jesus era o titular e terminou o Mundial com apresentações discretas. A manutenção dele em detrimento à presença de Firmino foi uma das maiores críticas sofridas por Tite na competição.

De lá para cá, Tite inverteu a situação e passou a priorizar o atacante do Liverpool. Ambos atuaram em sete duelos, mas Firmino ficou em campo em 482 minutos, contra 373 de Gabriel Jesus.

Atualizado por Natasha Ribeiro
natasha@oestadoce.com.br
Fonte: Folhapress

Mais conteúdo sobre:

Gabriel Jesus Copa América

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter