27 C°

sábado, 21 de outubro de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Tite põe seleção brasileira entre favoritas para a Copa da Rússia-2018

quarta-feira, 11 de outubro 2017

Imprimir texto A- A+

Reprodução

Após encerrar as eliminatórias sul-americanas com dez vitórias e dois empates, Tite deu a entender que não deve perder muito tempo com testes nos próximos oito meses ao afirmar que uma das prioridades de seu planejamento é consolidar a equipe para a Copa do Mundo.

“Não tenho a capacidade de projetar o que vai ser ali na frente. Tenho que fazer dos jogos e oportunidades o crescimento do time.

Pelo pouco tempo, não sei o limite. Mas cada oportunidade vai se mostrando. Comigo vai ter correção do erro, valorização do acerto e combustível para crescer. Até onde? Não sei. Gostaria de enxergar mais, experimentar mais. Mas tenho um dilema: ou fortalece em grandes jogos, ou fica testando em demasia. Pelo pouco tempo, a escolha é pelo fortalecimento”, disse o treinador após a vitória da seleção brasileira sobre o Chile por 3 a 0.

O técnico também afirmou que o grupo não está fechado para a Copa do Mundo e disse estar contente com o futebol apresentado pela equipe.

“O futebol que a equipe está apresentando me deixa feliz. Tenho que reconhecer que o grupo de atletas está apresentando um bom futebol. Uma troca de passes para depois verticalizar. Uma marcação por zona [bem feita]”, acrescentou o treinador, que coloca a equipe como uma das favoritas ao título do Mundial da Rússia.
“O Brasil é um dos favoritos pelo futebol apresentado, pelo nível. A França está muito forte e a Alemanha teve 100% de aproveitamento”.

Tite afirmou também que temeu perder algum jogador expulso durante o duelo contra o Chile. Caso algum atleta recebesse o cartão vermelho, desfalcaria a seleção brasileira na estreia da Copa do Mundo. Philippe Coutinho e Neymar, por exemplo, foram punidos com o cartão amarelo.

“O cartão amarelo [do Neymar] eu quero ver de novo. Para mim, ele foi proteger. Ele abriu o braço no sentido de proteção normal. Temi, sim. Chamei a atenção do Paulinho, do Gabriel Jesus. O que aconteceu no intervalo a gente sabe”, disse Tite, citando que alguns jogadores foram provocados pelo volante Medel.

“A gente tem que saber absorver essas situações todas.A mãe dele [Medel] e a minha mãe não merecem [em caso de ofensas]. Vejo todos muito conscientes, um processo de maturidade da equipe”, completou.

Fonte: Folha Press

Mais conteúdo sobre:

tite Eliminatórias Sul-Americanas

outros destaques >>

Facebook

Twitter