sábado, 25 de maio de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Tricolor trabalha pensando no novo clássico com Ceará

quinta-feira, 14 de março 2019

Imprimir texto A- A+

O Fortaleza poderia facilmente ter saído do clássico de domingo com os três pontos, além da mora de se vencer o maior rival. Poderia, mas os comandados de Rogério Ceni voltaram a mostrar o principal defeito da equipe na atual temporada: a falta de pontaria. Foram inúmeras chances criadas diante do Ceará, oportunidades claras desperdiçadas e, no fim, um empate sem gols, justo, mas que deixou um gosto mais amargo na boca do torcedor tricolor.
Sem compromissos no meio de semana, o elenco leonino trabalhou intensamente visando o segundo Clássico-Rei do ano, que acontece no domingo. O elenco se prepara para o novo duelo, mas os dias foram de aprimoramento das finalizações, principalmente por parte dos homens que compõem o setor de ataque. É possível que a formação titular seja alterada.

Com Júnior Santos criticado após a partida ruim na semana passada, é possível que o recém-chegado Wellington Paulista ganhe sua primeira oportunidade no comando de ataque do time. Outro que chegou e já pode ser escalado é Felipe Araruna. O polivalente jogador conta com a simpatia de Ceni, já que foi seu comandado quando o ex-goleiro treinou o São Paulo, e desempenha mais de uma função em campo (podendo atuar como volante e lateral-direito). A dupla está regularizada e à disposição, caso o técnico resolva promover as alterações.

A favor do Tricolor de Aço estará a disposição física. O plantel teve tempo de recuperar o fôlego após o intenso clássico, mas o arquirrival não teve a mesma oportunidade, já que precisou entrar em campo, em um difícil compromisso diante do Corinthians, válido pela Copa do Brasil, partida com caráter decisivo – embora ainda tenha de enfrentar novamente o rival paulista na casa do adversário, no próximo dia 3.

Desfalque certo
Quem estará de fora do jogo do fim de semana – e parado por até 15 dias – é o lateral Tinga. O atleta foi substituído durante o clássico alegando dores na perna. Após o exame mais detalhado, de imagem, ficou constatada a lesão na parte posterior da coxa esquerda. Contra o Vozão, o volante Paulo Roberto foi quem entrou na ala e deu conta do recado. Araruna também é opção. Os meio-campistas Gabriel Dias e Madson, com problemas na panturrilha, o lateral-esquerdo Bruno Melo, que operou o terceiro e quarto metacarpo da mão direita, e o goleiro Felipe Alves, com uma lesão na coxa esquerda, são outros nomes do elenco que estão no departamento médico.

Armação
Com toda a polêmica envolvendo o meia Madson e o técnico Rogério Ceni, a posição de armação no meio-campo ainda sofre com ausência de opções. Vindo para resolver o problema no setor, Dodô ainda não reúne as condições ideais para render o que é esperado pelo torcedor. No Clássico-Rei, o jogador teve atuação bem abaixo da média e foi substituído no segundo tempo. O camisa 10, no entanto, deve ser mantido na formação principal.

A direção tricolor batalhou no mercado em busca de um nome de peso para a função. As negociações com o argentino Diego Buonanotte não avançaram e o jogador acabou permanecendo no futebol chileno. Wagner, com passagens por Cruzeiro, Vasco, Fluminense, também esteve próximo de reforçar o elenco leonino, entretanto não fechou. Nenê, do São Paulo, foi sondado, mas os valores assustaram e as conversas foram encerradas. Camilo, do Inter, chegou a ser especulado.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter