28 C°

sábado, 24 de junho de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Vozão joga mal, mas vence Uniclinic no Castelão

segunda-feira, 20 de março 2017

Imprimir texto A- A+

Na rodada dos jogos de ida das quartas de final do Campeonato Cearense, o Ceará não fez um bom jogo, mas largou na frente na batalha de 180 minutos e venceu o Uniclinic por 3 a 1, com dois gols assinalados pelo interminável Magno Alves, e outro de Tiago Cametá. Preto fez para a Águia da Precabura. As duas equipes voltam a medir forças no próximo sábado, dia 25, às 16 horas, também na Arena Castelão.

Magnata – Parte 1
O dia de São José não trouxe o alento da chuva durante o prélio, pelo contrário, o sol esteve implacável. Mas, só o clima esteve mesmo quente no primeiro tempo no Castelão. O duelo iniciou sem graça, meio morno, com as duas esquipes se estudando, sem querer dar espaços ao rival. Givanildo Oliveira escalou Felipe Menezes para acionar os três homens de frente e assim buscou entrar na defesa adversária. Entretanto, o Uniclinic, com o passar do tempo, não ficou apenas se defendendo.
Victor Rangel ficou preso na marcação, enquanto Magno Alves recuava – com Maxi Biancucchi – para buscar jogo. Em lances de contra-ataque, a Águia da Precabura assustava o Vovô com Netinho e Edson Cariús, que tiveram ótimas oportunidades. Em boa cobrança de falta, Cariús fez o goleiro Everson (e a torcida alvinegra) sentir o frio na espinha. Netinho, minutos depois, bateu cruzado e com efeito da entrada da área e quase marcou. Por falar em marcar, foi o Ceará quem abriu o marcador.

Aos 39, Felipe Menezes recebeu na intermediária e achou um excelente passe rasteiro em profundidade para Magno Alves, que disparou, ganhou da zaga e bateu colocado, por baixo da perna de Dionantan, que demorou para sair. O tento deu mais tranquilidade aos alvinegros, que aproveitaram os minutos finais para buscar agredir o rival, que, por sua vez, recuou e esperou o apito final da primeira etapa para assimilar o golpe e poder respirar.

Magnata – Parte 2
O tempo final foi basicamente uma repetição do inicial. Ceará com mais posse de bola, mas sem conseguir levar perigo ao gol de Dionantan. O Uniclinic saiu para buscar o empate, porém sem ter força suficiente para causar estragos. Um jogo burocrático. Sendo assim, há alguém que não costuma perdoar falhas: Magno Alves. E esse foi o enredo do segundo gol. Bola cruzada na grande área, João Neto foi cortar, mas errou feio, deixando a jogada livre para o Magnata guardar. O tento não desanimou a Águia, que ainda descontou com Preto. O problema é que o Vozão chegou ao terceiro com Tiago Cametá, que entrou livre e bateu colocado. Fim de jogo e triunfo preto e branco.

outros destaques >>

Facebook

Twitter