terça-feira, 23 de julho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Alunos protestam contra cortes de verbas na Educação

quarta-feira, 15 de maio 2019

Imprimir texto A- A+

Na manhã desta quarta-feira (15), um grupo de manifestantes está concentrado desde as 8h na Praça da Bandeira, no Centro de Fortaleza. Estudantes usaram cadeiras para bloquear a área por duas horas na Avenida da Universidade, no bairro Benfica. A Polícia Militar ainda não esteve no local.

No local, estudantes, centrais sindicais e movimentos sociais se reuniram nas escadas da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará. Foram utilizados carro de som e faixas como “Fora Bolsonaro” e “Educação não é mercadoria”.

O Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort) e a Intersindical – Central da Classe Trabalhadora se somam hoje a várias outras centrais, sindicatos, Frente Povo Sem Medo. entidades estudantis e outros movimentos no apoio e mobilização da Greve Nacional da Educação, com atos de protesto em várias cidades do país, inclusive na grande maioria das capitais.

A Universidade Federal do Ceará (UFC) informou que parte dos professores liberou os alunos das aulas. Parte do serviços do campus, como biblioteca, estão funcionando.

Divulgado

Entenda

No auge desses ataques, o governo Bolsonaro tomou decisões que podem simplesmente inviabilizar o ensino público no país: o congelamento de R$ 2,4 bilhões em recursos para a educação básica e o corte de 30% no orçamento de 2019 para todas as universidades e institutos federais. De acordo com estimativas das próprias instituições, o corte comprometerá as atividades das universidades já no segundo semestre deste ano.

Para justificar os cortes, o atual ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou que “muitas universidades estiverem fazendo balbúrdia em vez de procurar melhorar o desempenho acadêmico”, demonstrando claramente que não se trata de uma simples contenção orçamentária, mas sim da falta de projeto na área educacional e o anúncio de uma verdadeira guerra ideológica.

Outro programa que tem sua continuidade ameaçada pelos cortes é o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Criado em 2006, o fundo é responsável por garantir maior qualidade à educação básica pública, da creche ao ensino médio, e corre risco de ser extinto em 2020.

Para a presidente do Sindifort, Nascelia Silva, “Diante desses ataques só nos resta sair às ruas em defesa de uma educação pública, de qualidade e que estimule em nossos jovens o senso crítico e a justiça social”.

MANIFESTAÇÕES PELO PAÍS

Brasília (DF)
Ato às 10h em frente ao Museu da República, na Esplanada dos Ministérios. Os manifestantes devem marchar até o Congresso

SUDESTE

São Paulo (SP)
Protesto às 14h na avenida Paulista
Rio de Janeiro (RJ)
Das 8h às 12h, haverá panfletagem do Museu Nacional, em frente ao Horto Botânico. Das 10h às 16h, manifestantes farão aulas, palestras, performances e oficinas na Praça 15. Às 15h, acontece o ato unificado, na região da Candelária
Belo Horizonte (MG)
Manifestantes irão promover panfletagem em pontos da cidade como Estações do MOVE, Praça da Rodoviária e Praça Sete, a partir das 6h. A partir das 9h30, saem em passeata em direção à Praça da Estação para um ato unificado
Vitória (ES)
Haverá panfletagem em frente aos portões do campus Goiabeiras a partir das 6h30. Às 13h, trabalhos serão exibidos na “Mostra Balbúrdia Universitária”. Às 16h30, sai uma caminhada entre teatro universitário e a Assembleia Legislativa

SUL

Porto Alegre (RS)
Concentração às 13h, na frente do Instituto de Educação (IE/Faced) seguida de caminhada até o INSS, no centro. Ato às 18h na Esquina Democrática
Curitiba (PR)
Mobilização começará às 8h30, em frente ao prédio histórico da UFPR, na Praça Santos Andrade. De lá, estudantes e professores farão uma caminhada até o Centro Cívico da cidade
Florianópolis (SC)
Protesto às 16h no Largo da Alfândega

NORDESTE

Salvador (BA)
Ato unificado às 9h na Praça do Campo Grande com concentração às 8h em frente à escola de Belas Artes, no Canela
Recife (PE)
Atividades iniciam às 6h, quando professores e alunos da Ufpe vão oferecer serviços de fonoaudiologia, terapia ocupacional e fisioterapia na na Praça do Engenho de Meio. À tarde, o protesto será na Rua da Aurora, próximo ao Ginásio de Pernambuco
Fortaleza (CE)
Mobilização terá concentração na Praça da Bandeira, às 8h, e marcha pelas ruas do Centro e do Benfica em direção à Reitoria da Universidade Federal do Ceará
João Pessoa (PB)
Ato terá concentração às 9h, em frente ao Liceu Paraibano, onde haverá panfletagem e discursos em carro de som. De lá, os manifestantes seguirão até o Ponto de Cem Réis, onde estará sendo realizado o “Educação na Praça”
São Luís (MA)
Protestos acontecem a partir das 11h30 na Área de Vivência da Universidade Federal do Maranhão
Maceió (AL)
Concentração para manifestação acontecerá em frente ao Cepa (Centro Educacional de Pesquisa Aplicada), às 10h
Natal (RN)
Ato acontece às 13h30, no Campus Central do IFRN. Às 15h, haverá outro ato público no cruzamento das avenidas Salgado Filho e Bernardo Vieira

NORTE

Manaus (AM)
Mobilização será partir das 7h, no Bosque da Resistência, entrada principal do campus da Universidade Federal do Amazonas Às 10h, haverá aula pública de filosofia. Às 15h, haverá ato nas praças 5 de Setembro e do Congresso
Belém (PA)
Protesto está previsto para começar às 8h, na praça da República. De lá, os manifestantes seguem em caminhada até a Assembleia Legislativa do Pará
Palmas (TO)
Manifestação sairá da Universidade Federal do Tocantins e segue para concentração em frente à Assembleia Legislativa, a partir das 9h. Até às 12h, a programação prevê que alunos mostrem suas atividades de pesquisa e extensão
Boa Vista (RR)
Programação prevê o fechamento dos portões da Universidade Federal de Roraima pela manhã. À tarde, a partir das 14h, haverá concentração em frente à universidade, na avenida Ene Garcez, de onde saem em caminhada até a praça do Centro Cívico
Rio Branco (AC)
Ato público, em frente ao Palácio Rio Branco, está previsto para às 8h
Macapá (AP)
Ato a partir das 16h na Praça das Bandeiras
Porto Velho (RO)
O ato deve acontecer a partir das 9h, na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Rondônia

CENTRO-OESTE

Goiânia (GO)
Assembleia unificada às 13h, Praça Universitária. Pela manhã, haverá um café da manhã simbólico no CEPAE (Colégio de Aplicação)
Campo Grande (MS)
Exposição de trabalhos acadêmicos na Praça Ary Coelho, centro da cidade
Cuiabá (MT)
Ato de rua em defesa das universidades públicas às 14h, na Praça Alencastro

Atualizado por Natasha Ribeiro
natasha@oestadoce.com.br
Fonte: Folhapress e informações do Sindifort

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter