sexta-feira, 20 de setembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Capital cearense terá 18 cabos submarinos de fibra ótica até 2021

terça-feira, 10 de setembro 2019

Imprimir texto A- A+

Fortaleza é destaque mundial em hub tecnológico, com 14 cabos submarinos de fibra ótica. Capazes de interligar o Brasil com a África, Europa, América do Norte, América Central e América do Sul, estima-se que, até o fim de 2021, 18 cabos operantes estejam localizados na capital cearense. As informações são do database especialista em mercado de telecomunicações, o Telegeography.
A localização geográfica contribui para Fortaleza ser considerada um importante pólo de concentração de cabos. Alguns dos 14 cabos atuantes hoje já operam desde 2000, como os dois GlobeNet, com extensão de 23.500 km e que ligam Fortaleza a Colômbia, Venezuela, Ilhas das Bermudas e EUA.
Cabos futuros, como os dois South Atlantic Express (SAEx1) previstos para 2021, por exemplo, conectarão Fortaleza com a África do Sul e Estados Unidos, com a extensão de 14.,7 mil quilômetros. Outros cabos já previstos para 2020 são os dois EllaLink, com extensão de 6,2 mil quilômetros, e que ligarão Fortaleza a Portugal, Cabo Verde e Guiana Francesa.
Em recentes dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o Ceará é um dos três estados brasileiros com melhor conexão banda larga, velocidade e quantidade de fibra ótica instalada. A velocidade média do Estado contratada (Mbps) é a terceira maior d o Brasil (27,23 Mbps). Além disso, 85,9% dos municípios cearenses possuem cobertura de fibra ótica.
A Angola Cables, multinacional de telecomunicações angolana, mantém em operação a partir de Fortaleza os cabos South Atlantic Cable System (SACS) e o Monet, sendo o empreendimento de maior expectativa para atração de novos investimentos e negócios para o Ceará, especialmente por conta do data center AngoNAP Fortaleza, inaugurado em abril deste ano de 2019.
No final de 2018, foi sancionada a Lei 16.727 que institui, no âmbito interno da administração do Estado do Ceará, o Programa Hub de Tecnologia da Informação e Comunicação (HTIC), que visa otimizar os recursos de custeio e investimentos em TI.
“A chegada de mais cabos submarinos no Ceará, além de fortalecer ainda mais o estado como sendo o hub de comunicação do Brasil com o mundo, faz com que o Ceará se torne importante entreposto digital no cenário mundial, criando a oportunidade de se tornar polo de computação em nuvem e do segmento de datacenters”, cita o presidente da Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará (Etice), Adalberto Pessoa.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter