sábado, 16 de fevereiro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Ceará amplia escolas em tempo integral

sexta-feira, 08 de fevereiro 2019

Imprimir texto A- A+

Mais 22 escolas públicas estaduais, no Ceará, passaram a ser de tempo integral. Com a ampliação, o Estado passa a contar com 252 unidades de ensino médio com jornada prolongada, o que representa 35% do total de 727 escolas estaduais. O anúncio foi feito, ontem, pelo governador Camilo Santana, na Secretaria da Educação do Estado (Seduc/CE).

São 19 novas escolas de ensino Mmédio em tempo integral (EEMTIs) localizadas nos municípios de Itaitinga, Aquiraz, Trairi, Granja, Ipu, Sobral, Quixeramobim, Crateús (2), Senador Pompeu, Farias Brito e Fortaleza (7), que irão beneficiar 2.305 alunos. Além de três novas escolas estaduais de ensino profissional (EEEPs), em Caririaçu, Forquilha e Ocara, com capacidade para abranger 1.620 estudantes.

Durante a solenidade, o Governador ressaltou que o investimento faz parte da política de Governo do Estado, que pretende ampliar, cada vez mais, o ensino de tempo integral. “Acreditamos que esse é um grande caminho para garantir uma qualidade ainda maior na educação pública do estado do Ceará. Com essas novas 22 escolas, vamos passar a ter 252 escolas em tempo integral de ensino médio no Estado do Ceará, juntamente com as profissionalizantes.
Isso significa que o estado do Ceará é o segundo estado do Brasil com maior número de escolas de tempo integral. Nossa meta é nos tornarmos, até o final do governo, o primeiro lugar do Brasil em escola de tempo integral”, afirmou Camilo Santana, que destacou, ainda, que irá criar condições necessárias para que os jovens cearenses possam ter mais oportunidades e um ensino público de qualidade.

Investimentos
Em 2019, o Governo do Ceará pretende investir R$ 316 milhões no Programa de Ensino Médio Integral. O recurso será destinado à ampliação, adaptação, aquisição de novos equipamentos, alimentação e contratação de terceirizados, além de processo de adequação para conversão ao modelo de ensino com jornada prolongada. As escolas profissionalizantes também devem receber investimento na ordem de R$ 38,8 milhões para reforma e mobília de três unidades de ensino.
“Estamos trabalhando para garantir um ambiente físico também melhor nas escolas, com reformas. Agora em Fortaleza e no Ceará, vamos entregar novas escolas e continuar investindo para que o ambiente da escola seja cada vez melhor, mais qualificado e de estrutura para que o aluno se sinta bem. Vamos valorizar mais os professores, os grêmios estudantis e encontros científicos de jovens”, garantiu.

Estágio Internacional
Na ocasião, o Governador anunciou ainda que em breve irá encaminhar à Assembleia Legislativa do Ceará, um Projeto de Lei para garantir estágio internacional para estudantes do ensino médio das escolas estaduais. “Vamos trabalhar com esses jovens que estão na escola, que é uma forma de estimular, fazer uma conexão do Ceará com o mundo, e essa vai ser uma das ações mais importantes, que em breve vou pedir autorização da Assembleia para implementarmos no Ceará”, disse.

Jornada
Nas escolas de tempo integral, o ensino começa a partir da 1a série do ensino médio, com uma jornada de nove horas e três refeições diárias. O currículo é composto por 30 horas semanais de disciplinas da base comum a todos e 15 horas na parte flexível, onde 10 são escolhidas pelos próprios alunos nos seguintes eixos: educação em direitos humanos; educação científica; formação profissional/e-jovem – informática; educação ambiental e sustentabilidade; mundo do trabalho; comunicação, uso de mídias, cultura digital e tecnologia; esporte, lazer e promoção de saúde; artes e cultura; clubes estudantis e desenvolvimento de projetos; e aprofundamento de conteúdo do núcleo comum.
Já nas escolas de ensino profissional, também funciona em tempo integral, onde os alunos aprendem uma profissão ao mesmo tempo em que fazem a educação básica.

Força Nacional: “renovação foi solicitada por Governo”

Durante a coletiva de imprensa sobre a ampliação da oferta de escolas de tempo integral no Ceará, o governador Camilo Santana voltou a comentar sobre o impasse a respeito da permanência ou saída da Força Nacional do Estado.
O governador disse que a presença da Força Nacional é “mais simbólica”, comparada às Forças de Segurança do Estado, que conta com 29 mil homens, e reiterou que havia solicitado ao Governo Federal a permanência da tropa por mais 30 dias. “A presença da Força Nacional é muito mais simbólica. Hoje, temos 29 mil homens nas forças de segurança do Estado do Ceará e a Força Nacional com 408 homens, mas a presença da Força Nacional é importante simbolicamente para nós. Eu solicitei a renovação desde o dia 27 de janeiro, fiz uma solicitação oficial, havia uma sinalização informal que haveria a renovação por mais 30 dias, fui surpreendido com a notícia pela imprensa, entrei em contato com o próprio ministro (Sergio Moro), ele me garantiu que ia reavaliar. Na verdade, não ia ser uma saída imediata, ia ser uma saída progressiva, uma parte sairia essa semana e outra daqui a 30 dias, mas pedi que reavaliasse e permanecesse toda a tropa durante os próximos 30 dias no Estado do Ceará”, explicou.
No último dia 5, o secretário de Segurança Pública, Guilherme Theophilo, anunciou que as tropas da Força Nacional começariam a deixar o Ceará naquela mesma tarde gradativamente em torno de um a dois meses. Segundo ele, os ataques criminosos no Estado haviam reduzido e, portanto, a Força Nacional começaria a deslocar para outros Estados, como o Pará.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter