sexta-feira, 24 de maio de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Identificada mais uma vítima que sofreu ameaças virtuais

quarta-feira, 15 de maio 2019

Imprimir texto A- A+

A Polícia Civil identificou mais uma vítima que relatou ter sofrido ameaças, vindas de um perfil falso criado em uma rede social. Um Boletim de Ocorrência relatando o fato foi registrado no 9º Distrito Policial, no início do mês. O caso é anterior à autuação de um estudante de direito que ameaçou uma adolescente de 16 anos, utilizando o mesmo “modus operandi”, na última quinta-feira (9). O DHPP vai assumir as investigações sobre ameaças de morte sofridas em ambiente virtual.

Da mesma forma que no caso anterior, uma pessoa, ainda não identificada, criou um perfil falso e o nomeou com as iniciais de uma organização criminosa. Conforme relato da vítima, o perfil proferiu diversas ameaças exigindo que a vítima deletasse a conta pessoal da rede social, além de fazer ameaças diretas contra a vida dela, caso as exigências não fossem cumpridas.

A Polícia Civil orienta as vítimas que tenham sofrido ameaças de morte nas redes sociais que compareçam à sede do DHPP, na Rua Juvenal de Carvalho, 1125, no bairro de Fátima, para formalizarem o fato. Recomenda-se que as vítimas levem o nome do perfil do infrator, fotos das conversas e dados do telefone de onde partiram as ameaças, no caso das ameaças terem sido feitas em aplicativos de mensagens instantâneas.

Flagrante
Na quinta-feira passada, um estudante de direito foi autuado em flagrante após fazer ameaças a uma adolescente de 16 anos, utilizando um perfil falso em uma rede social. O objetivo do infrator, como desvendado nas investigações do DHPP, era que a vítima desativasse sua conta na rede social. Um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) foi lavrado por ameaça em desfavor dele. Em depoimento, o homem confessou o crime e disse estar arrependido.

Alerta
“É importante que a vítima mantenha alguns cuidados para não se expor demasiadamente nas redes sociais”, alerta o delegado Julius Bernardo, da Célula de Inteligência Cibernética do Departamento de Inteligência Policial (DIP). O delegado recomenda que os usuários evitem postar fotos em tempo real de locais onde costumam frequentar e redobrem a atenção ao receber convites de perfis desconhecidos.

Crimes contra honra

Conhecidos como crimes contra honra, os casos de calúnia, injúria e difamação nas redes sociais também podem virar casos de polícia. O delegado Julius Bernardo recomenda que quando vítimas se sentirem prejudicadas em ambiente virtual comuniquem à Polícia Civil. “Ao ser vítima de golpes, ameaças, por exemplo, procure documentar as conversas, tirar fotos e, se possível, levar o celular contendo as mensagens até uma delegacia para registrar um B.O. a fim de iniciar as investigações”.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter