sábado, 25 de maio de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

OAB estipula ações contra violência à mulher

quinta-feira, 14 de março 2019

Imprimir texto A- A+

A Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE), em reunião com representantes do Governo do Estado, da Defensoria Pública Estadual do Ceará (DPE-CE) e do Grupo Mulheres do Brasil – Fortaleza, estipulou uma série de ações a serem realizadas em 2019 e 2020, com o intuito de combater a violência contra as mulheres no Estado. As informações, referentes a encontro realizado na última terça-feira (12), foram divulgadas pela OAB-CE ontem (13).

Entre as iniciativas acertadas estão a realização de um grande seminário sobre enfrentamento de violência; um projeto de advogadas multiplicadoras da cultura de paz e do enfrentamento da violência contra a mulher; a criação da campanha “Em briga de marido e mulher, disque 190”; e o projeto da OAB nas escolas, que tem o objetivo de trabalhar a conscientização de pais, mestres e estudantes. Serão realizadas, além disso, campanhas nos terminais de ônibus, em Fortaleza, para conscientizar sobre assédio nos transportes públicos.

Segundo a presidente da Comissão de Política sobre Drogas da OAB-CE, Vanessa Venâncio, há, também, o plano de fazer um trabalho dentro dos hospitais, no combate à violência doméstica. “As unidades de saúde também são pontos que devem estar aptos a receber denúncias e prestar socorro às vítimas. Nós pretendemos oficiar todos os hospitais para termos ciência do volume de denúncia que chega através dessas unidades e realizar capacitação com os profissionais para garantir o atendimento adequado às vítimas da violência doméstica”, afirmou. As ações deverão ser postas em prática por meio de uma parceria entre a OAB Ceará e o Grupo Mulheres do Brasil, no momento sendo articulada.

A vice-presidente da Comissão da Mulher Advogada do órgão, Aline Miranda, conta que está sendo formada uma rede de mulheres de varias áreas e segmentos da sociedade, para a construção de um trabalho que possa ter caráter “educativo” e “libertador” para as mulheres que enfrentam cenários de violência. “Estamos dispostas a nos aprofundar nas causas e consequências, buscando formas de prevenção e também de combate, sem descuidar do autor das violências domésticas, entendendo também que são pessoas que precisam de tratamento”, destacou.

O presidente da OAB Ceará, Erinaldo Dantas, ressalta a necessidade de articulação em torno de iniciativas desse tipo. “Infelizmente, vivemos uma realidade nesse país de todo dia ter uma mulher assassinada ou violentada, porque existem pessoas que não têm um mínimo de evolução para entender que a mulher não é patrimônio, não é um bem de ninguém. Precisamos combater isso com ações efetivas e, por isso, estamos nos planejando e buscando sempre o engajamento dos membros das comissões temáticas. O combate à violência contra a mulher é uma causa que a OAB Ceará abraça”, declarou.

Participaram da reunião, ainda, Christiane Leitão, presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB-CE; Vanessa Venâncio, presidente da Comissão de Política sobre Drogas; Evanile Aguiar, representante da Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa; Brenda Lacerda, secretária-geral da Comissão de Política sobre Drogas; Daniele Pimentel, membro Comissão da Mulher advogada; Aline Miranda, da Defensoria Pública e membro da Comissão da Mulher Advogada; Clara Silveira, membro da Comissão da Mulher Advogada de Itapajé; Annette Reeves de Castro, presidente do Grupo Mulheres do Brasil- Fortaleza; Camila Silveira, assessora do gabinete do governador; e Darlene Braga, representante da Regional VI.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter