sábado, 24 de agosto de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Polícia Civil passa a ter novo fluxo de presos em delegacias distritais

quinta-feira, 13 de junho 2019

Imprimir texto A- A+

Após a desativação dos xadrezes de todos os 16 distritos policiais não plantonistas de Fortaleza, a Polícia Civil do Ceará (PCCE) divulgou o novo fluxo de presos em delegacias distritais da capital cearense. No novo modelo, em horário de expediente, os presos só permanecem nas delegacias distritais, incluindo as plantonistas, apenas durante a confecção do procedimento policial.
Durante o horário de expediente, em toda a Capital, presos em flagrantes ou decorrentes de cumprimentos de mandados serão encaminhados direto para a Delegacia de Captura e Polinter (Decap). Ou seja, eles passam por uma das 25 delegacias distritais de Fortaleza, apenas para o registro da ocorrência. Já nos horários de plantão – período noturno, finais de semana e feriados – os presos são flagranteados e permanecem nas celas dos polos plantonistas até o primeiro dia útil seguinte a prisão, quando deverá ser encaminhado para a Decap.
De acordo com o delegado geral da PCCE, Marcus Rattacaso, a ação só foi possível em virtude da participação efetiva do Governador do Estado do Ceará, Camilo Santana, determinando a Polícia Civil não custodiar mais presos em suas delegacias. Além da parceria com o Poder do Judiciário, através das Varas de Execuções Penais, por meio do juiz Cézar Belmino, da participação do Secretário de Administração Penitenciária, Mauro Albuquerque, e do Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Estado do Ceará (SINPOL) representou uma junção de esforços para que fosse possível desativar todos os xadrezes.
“A Polícia Civil, com essa desativação, consegue reverter para o serviço operacional uma quantidade considerável de policiais que estava exatamente cuidando da custódia de presos. Agora eles voltam para sua atividade e seu mister constitucional que é a investigação policial com a identificação de autoria e materialidade dos crimes praticados”, disse Rattacaso.

Mudança
Ainda dentro da operação, o diretor de Polícia da Capital, delegado Danilo Raffaneli, explica que nos últimos dois anos a realidade era muito distinta. “No ano de 2017, as delegacias da Capital, no total de 25 distritos, somavam uma média diária de 350 presos custodiados, divididos nesses distritos. Já no ano de 2018, esse número transitava numa média diária de 250 presos, que traziam grandes dificuldades para a Polícia Civil atuar efetivamente na investigação, autoria materialidade e circunstâncias de um crime”, afirmou.
O processo de desativação, ocorrido na última terça-feira, foi concluído com o fim das celas do 16º e 27º Distrito Policial, localizados nos bairros Dias Macêdo e João XXIII, respectivamente. A partir desse trabalho, todas as delegacias não plantonistas de Fortaleza passam a não custodiar mais presos.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter