terça-feira, 16 de julho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Pressão alta é um dos motivos de nascimento prematuro

terça-feira, 15 de novembro 2016

Imprimir texto A- A+

Cerca de 12% dos brasileiros nascem com menos de 37 semanas de gestação e são, portanto, considerados prematuros. Na Maternidade-Escola Assis Chateaubriand (Meac), do Complexo Hospitalar da UFC/Ebserh, por ser um hospital de referência em gestação de alto risco, esse número sobe para 25%, ou seja, uma média de 112 bebês por mês.

Em entrevista ao Jornal O Estado, a chefe da Unidade de Neonatologia da Meac, Eveline Campos, explicou que existem vários fatores de risco na gestação que podem levar ao parto prematuro. Um dos principais, segundo a médica, é a pré-eclâmpsia, que está associado a pressão alta da gestante. “Causam o nascimento de prematuros as complicações na gravidez. Algumas são em decorrência da falta de acompanhamento do pré-natal, quando não se diagnostica as infecções, diabetes, desnutrição e problema de pressão arterial a tempo de serem tratados”.

Outro problema, apontado pela médica como complicadores são os partos na adolescência e em mulheres acima de 35 anos. “Esses pacientes são considerados de risco e devem ser acompanhados desde o início da gravidez. Porém, são muitas as causas que favorecem o nascimento de bebês de forma prematura”, falou a médica. Em alguns casos, como os de pré-eclâmpsia, deslocamento de placenta e insuficiência placentária, o parto prematuro precisa ser provocado no sentido de salvar a vida da mãe ou do bebê.

Na Maternidade-Escola, por exemplo, das 26 crianças que estão na UTI neonatal, 21 nasceram de forma prematura. “Lá, elas podem ficar até três meses. O tempo de permanência vai depender de bebê para bebê. Nesse período é importante a mãe, o pai e toda a família estarem próximos. Quando eles saem, os cuidados devem continuar”, completou Eveline Campos. Em Fortaleza, além da Maternidade-Escola, o Hospital Cesar Cals e o Hospital Geral de Fortaleza (HGF) dispõem de UTI Neonatal.

Consequências
O prematuro nasce com baixo peso. Entre as consequências mais comuns para o bebê, Eveline Campos destaca problemas no coração, no pulmão, na visão, na audição, refluxo gastroesofágico e maior propensão a infecções. “Nos dois primeiros anos, ele precisa de mais cuidados e acompanhamento regular do neonatologista para acompanhar seu desenvolvimento”, explicou.

Conscientização
Começou, ontem, na Meac, a “Semana da Prematuridade”, na intenção de difundir informações e técnicas eficazes de assistência humanizada à gestante no sentido de prevenir o parto prematuro. Segundo a Meac, mais de 60 atividades envolverão 70 profissionais até o dia 18 de novembro.

O treinamento permanente dos profissionais de saúde, sobre o que fazer nas situações de risco, possibilita a prevenção e a orientação adequada às grávidas sobre o que evitar durante a gestação. Para a enfermeira Ana Paula Melo Façanha, coordenadora de Enfermagem da Neonatologia, a Semana da Prematuridade da Meac é um momento de reflexão e sensibilização da equipe para o cuidado ao bebê. “Nesta edição, com a experiência exitosa do ano passado, abrimos alguns momentos da programação ao público externo, já que a procura foi muito grande”, comemorou.

Programação
As atividades foram planejadas para atender às necessidades de melhor orientação das mães e acompanhantes no desenvolvimento dos bebês prematuros. Também estão previstas capacitações com intercâmbio de conhecimentos dos profissionais que trabalham na Meac. Entre os temas abordados, estão: “Brincando com o prematuro”, “Circuito do bebê”, “Método Canguru na UTI”, “Fisioterapia aquática na redução da dor e do estresse neonatal”, “Cuidados domiciliares com o prematuro”, “Segurança do bebê” e “Uso da rede de descanso no prematuro”.
Amanhã a programação é aberta para a qualificação que abordará, entre outros temas: Aleitamento, cuidados com a pele do recém-nascido, microbiota materna, hipotermia, cateter percutâneo, contato pele a pele com o bebê, infecções e hemoterapia. O evento será no auditório da Odontologia da UFC e a inscrição é um pacote de fraldas. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3366.8533.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter