sexta-feira, 21 de setembro de 2018.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Segurança: efetivo será 89,5% maior

quinta-feira, 08 de fevereiro 2018

Imprimir texto A- A+

Com a proximidade do Carnaval, os órgãos públicos preparam planos logísticos para atender as demandas maiores que vêm com a data. Conforme a divulgação do Plano Operacional de Segurança feita pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) ontem (7), um total de 5.953 agentes de segurança estarão atuando no Estado durante o período, equivalente a um aumento de 89,5% frente a 2017.
Desses, serão 4.944 policiais militares, 285 policiais civis, 596 bombeiros militares, 63 servidores da Perícia Forense do Ceará (Pefoce) e 65 servidores da SSPDS em cada dia do período de Carnaval. Segundo o secretário André Costa, trata-se da maior operação da segurança pública no ano no Ceará.

O Corpo de Bombeiros Militar (CBM) terá reforço em 47 municípios em 13 áreas integradas de segurança (AIS) diferentes. Serão 112 viaturas atuando. Conforme o órgão, a principal preocupação durante o período é o risco de afogamento, com unidades de salvamento dispostas em diferentes praias.

Em Aracati, haverá monitoramento por câmeras, através de sistema de fiscalização instalado durante o mês de janeiro. A medida tem como objetivo o enfrentamento da criminalidade e conta com 17 câmeras distribuídas em pontos específicos da cidade. Haverá ainda reforço do efetivo de segurança com atuação do Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio).
André Costa esclarece que o aumento do efetivo não veio em decorrência dos recentes ataques de facções criminosas no Estado, e sim devido ao crescimento do número de agentes de segurança pública que já estava previsto anteriormente. Na última terça-feira (6), o governador Camilo Santana convocou o último grupo de aprovados no concurso da Polícia Militar, equivalente a 800 novos profissionais. Considerando os aprovados no último certame, foram 4,2 mil agentes convocados.

Polícia Rodoviária
Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) estarão distribuídos em pontos estratégicos no decorrer do período de Carnaval para orientar motoristas e prevenir acidentes.
O superintendente regional da PRF no Estado, inspetor Marco Antônio Maia, conta que é importante redobrar a atenção na pista em viagens nas rodovias, principalmente durante esTe período, quando deve haver uma quantidade maior de carros circulando. Ele orienta que é preciso ter cuidado em especial com os primeiros 10 quilômetros da BR-116 e da BR-222, que deverão ter movimento intenso, além da estrada da Serra da Ibiapaba, que tem uma pista íngreme e sinuosa.

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran) também atuará na orientação e fiscalização de trânsito, com 250 profissionais participando da operação durante o período de Carnaval. O órgão indica que será feita fiscalização da passagem de veículos em áreas de praia, atividade proibida, e garante que os agentes serão rigorosos nesse quesito.

Durante o Carnaval do ano passado, a PRF registrou 46 acidentes de trânsito, 14 dos quais foram considerados graves e resultaram em duas mortes. Foram fiscalizados 7.651 veículos e 7.628 pessoas. Além disso, 3.109 testes de etilômetro (bafômetro) resultaram em 45 pessoas autuadas e cinco detidas. Por fim, 4.456 motoristas foram flagrados trafegando acima da velocidade máxima em rodovias federais no Ceará, com 589 ultrapassagens indevidas tendo sido registradas.

Crise da segurança
O Ceará tem enfrentado dificuldades no combate à criminalidade, com uma alta expressiva no número de crimes violentos e ataques recorrentes de facções criminosas. No dia 27 de janeiro, o bairro Cajazeiras foi palco da maior chacina do Ceará, com um grupo tendo invadido uma festa e deixado 14 mortos no local. Apenas dois dias depois, 10 detentos foram mortos na cadeia pública de Itapajé, a 124 quilômetros de Fortaleza, em decorrência de um conflito entre facções rivais.
Foram registrados 469 assassinatos no Estado durante o mês de janeiro, o maior número para o período desde o início da série histórica, em 2013. A maior quantidade de mortes violentas para janeiro havia sido registrada em 2014, quando foram 399 casos de homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte.

outros destaques >>

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter