sábado, 25 de maio de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Anac suspende voos de aeronave envolvida em acidentes na Etiópia e na Indonésia

quinta-feira, 14 de março 2019

Imprimir texto A- A+

A Anac (Agência Nacional de Aviação) decidiu suspender os voos com a aeronave Boeing 737 MAX 8 na noite desta quarta (13), atendendo a um pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República).

Os Estados Unidos e o Canadá também anunciaram na tarde de quarta que a suspensão de voos com o modelo.

Um avião Boeing MAX 8 da Ethiopian Airlines caiu no último domingo (10) logo após a decolagem, próximo a Adis Abeba, capital da Etiópia. Em outubro de 2018, o mesmo tipo de aeronave, da companhia Lion Air, caiu na Indonésia. Todas as pessoas a bordo dos dois voos morreram nas quedas.

No último domingo (10), um avião Boeing MAX 8 da Ethiopian Airlines caiu logo após a decolagem, próximo a Adis Abeba, capital da Etiópia.

Em outubro do ano passado, o mesmo tipo de aeronave, da companhia Lion Air, caiu na Indonésia. Ambos os acidentes mataram todos os que estavam a bordo.

A Gol, única companhia aérea brasileira que possui unidades do modelo, já havia parado de utilizar os aviões desse modelo desde a noite de segunda (11).

Segundo a agência, a decisão foi tomada após consulta junto à FAA, a equivalente americana da Anac.

Chile, Colômbia, Costa Rica, México e Panamá adotaram medidas com o mesmo efeito após a divulgação da decisão da Anac. As companhias Copa Airlines e Aeroméxico já tinham voluntariamente paralisado suas operações com os aviões.

Autoridades da América Latina vinham se mostrando relutantes a paralisar as operações com o modelo, cuja segurança é questionada desde o acidente na Etiópia.

Agência reguladora da Argentina -um dos maiores mercados da região, além do Brasil- não impôs veto ao modelo. A Aerolineas Argentinas possui unidades do Boeing 737 MAX 8 e 9 e decidiu deixar temporariamente os aviões no solo.

As causas dos dois acidentes com o modelo Boeing 737 MAX são desconhecidas e as investigações ainda estão em curso.

A Etiópia anunciou que enviará para a Europa as caixas-pretas do avião Boeing 737 MAX 8 que caiu no domingo, pois o país não possui meios técnicos para analisar os dados contidos nelas.

Em nota, a Boeing, cuja sede fica em Chicago, nos Estados Unidos manteve a posição de que as aeronaves são seguras, mas apoiou a decisão de deixá-las no solo temporariamente.

“A Boeing decidiu -por uma questão de excesso de cuidado e para tranquilizar o público sobre a segurança da aeronave- recomendar à FAA a suspensão temporária das operações de toda a frota global de 371 aeronaves 737 MAX.”

Mais de 50 países vetaram voos com o 737 MAX:
Alemanha
Austrália
Áustria
Bélgica
Bermudas
Brasil
Bulgária
Canadá
Chile
China
Chipre
Cingapura
Colômbia
Costa Rica
Croácia
Dinamarca
Emirados Árabes Unidos
Eslováquia
Eslovênia
Espanha
Estados Unidos
Estônia
Finlândia
França
Grécia
Holanda
Hungria
Índia
Indonésia
Irlanda
Islândia
Itália
Kuwait
Letônia
Liechtenstein
Lituânia
Luxemburgo
Malta
Malásia
México
Noruega
Omã
Panamá
Polônia
Portugal
Reino Unido
República Tcheca
Romênia
Suécia
Suíça
Ucrânia

DA REDAÇÃO DO ESTADO ONLINE
isadora@oestadoce.com.br
Fonte: Folha Press

Mais conteúdo sobre:

Indonésia Anac Etiópia

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter