28 C°

quinta-feira, 24 de agosto de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

EUA ameaçam dar resposta esmagadora à Coreia

quinta-feira, 20 de abril 2017

Imprimir texto A- A+

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, prometeu nessa quarta-feira (19) uma “resposta esmagadora em caso de ataque” da Coreia do Norte.
A declaração foi feira em um auditório repleto de soldados americanos, no porta-aviões Ronald Reagan, estacionado no Japão.
Há nuvens no horizonte, disse o vice, que classificou o regime comunista da Coreia do Norte como “ameaça mais perigosa e urgente à paz e à segurança na Ásia Pacífico”.

Pence passou a quarta no Japão, onde realiza uma visita de dois dias, depois de ter passado pela Coreia do Sul, inclusive na fronteira do país com a Coreia do Norte.
A tensão entre Washington e Pyongyang aumentou após a após rumores sobre a preparação de um teste nuclear pela Coreia do Norte. Os EUA decidiram enviar um porta-aviões à região, e o presidente Donald Trump falou em “resolver” o problema.
Em entrevista à emissora britânica BBC na terça-feira, o vice-ministro das Relações Exteriores norte-coreano, Han Song-ryon, afirmou que o ritmo de testes balísticos irá acelerar. “Vamos realizar mais testes de mísseis semanalmente, mensalmente e anualmente”. Pence reagiu à declaração e afirmou que “todas as opções estão sobre a mesa”.

“Derrotaremos qualquer ataque e reagiremos ao uso de qualquer arma convencional ou nuclear com uma resposta esmagadora”, afirmou, citando a “determinação do presidente Trump e das forças armadas dos EUA”.
O porta-aviões Ronald Reagan está na base naval americana de Yokosuka.
Outro componente da frota, o porta-aviões USS Carl Vinson, atualmente diante da costa australiana, tem previsão de chegar na próxima semana ao mar do Japão.

Trump
A mais nova ordem executiva assinada pelo presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, estimula a compra de produtos nacionais e a contratação de norte-americanos. Chamada de Buy American, Hire American (Compre produtos americanos, contrate americanos), a ordem executiva segue a linha nacionalista adotada por Trump durante a campanha e ordena que as agências governamentais reavaliem acordos comerciais de livre comércio que estejam prejudicando a indústria nacional.
Além disso, o texto, assinado na terça-feira (18), determina que os programas de concessão de vistos de trabalho temporário, como o visto H1B para estrangeiros, sejam revistos.

“Para comprar [produtos do país] e contratar americanos, eu assino esta ordem que vai proteger trabalhadores e estudantes, como vocês”, afirmou Trump, dirigindo-se a trabalhadores de uma fábrica no estado de Wisconsin.

outros destaques >>

Facebook

Twitter