quarta-feira, 17 de julho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Parlamento veta brexit sem acordo com europeus

quinta-feira, 14 de março 2019

Imprimir texto A- A+

O Parlamento britânico aprovou nessa quarta-feira (13) uma moção segundo a qual o Reino Unido não pode sair da União Europeia (UE) em nenhuma circunstância sem ter ratificado algum acordo com esse consórcio de 27 países. A decisão representa uma derrota para o governo da conservadora Theresa May, que esperava ver adotada uma proposição mais específica, afastando a possibilidade de separação sem acordo (“no deal”) apenas em 29 de março, até aqui o Dia D do brexit.

Com a escolha dos parlamentares, definida por uma maioria de apenas 4 votos (312 a 308), o Executivo em teoria perde uma carta julgada importante na barganha com a UE: o fantasma de uma saída dura, brusca, que também teria consequências indesejáveis do lado europeu. O “não” desta quarta abre caminho para o adiamento do Dia D do brexit, que deve ser votado na quinta (14).

Na mesma sessão, os parlamentares rejeitaram outra moção, que sugeria postergar o brexit para 22 de maio a fim de aumentar o tempo de preparação para uma saída a seco, não pactuada. Na noite de terça (12), o Legislativo havia derrubado pela segunda vez o acordo apresentado pela primeira-ministra, Theresa May, agora por uma diferença de 149 votos (contra 230 da primeira, em janeiro).

O pomo da discórdia continua sendo o mecanismo previsto para evitar a volta de controles alfandegários na fronteira entre as Irlandas, única faixa de terra em que Reino Unido e UE se tocam (a República da Irlanda integra o consórcio europeu). Muitos parlamentares questionam o plano de estabelecer uma união aduaneira euro-britânica enquanto correm as negociações do futuro acordo comercial entre as partes.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter