terça-feira, 17 de setembro de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Sem diálogo, Trump prolonga guerra no Afeganistão

quarta-feira, 11 de setembro 2019

Imprimir texto A- A+

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que as conversas de paz que seu governo vinha mantendo com os militantes islamitas do Taleban estão “mortas”. A decisão de abandonar as negociações deve prolongar ainda mais o envolvimento americano na guerra no Afeganistão, que já se arrasta por quase 18 anos.

O anúncio de Trump causou surpresa. Membros de sua administração vinham sugerindo estar perto de alcançar um acordo definitivo e planejavam receber integrantes do Taleban para conversas nos Estados Unidos, mas o encontro foi cancelado no fim de semana após o grupo admitir ser responsável por um ataque que matou 12 pessoas no Afeganistão, incluindo um soldado americano.

“Eles pensavam que precisavam matar gente para se colocar em uma posição de negociação um pouco melhor”, disse Trump, acrescentando que o atentado foi um “grande erro”. Já o Taleban afirmou, por meio de um porta-voz, que os Estados Unidos seriam quem “mais perderia” ao se retirar da mesa de negociação.

Em janeiro, o governo Trump iniciou uma série de rodadas de negociação com representantes do Taleban em Doha, capital do Qatar. As conversas visavam à retirada dos 14 mil soldados americanos que seguem operando no Afeganistão, a fim de encerrar a guerra mais longeva em que os EUA já se envolveram. A guerra no Afeganistão deixou quase 150 mil mortos, incluindo 38 mil civis afegãos e 2.400 militares americanos, de acordo com um levantamento do Watson Institute for International and Public Affairs da Universidade Brown.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter