domingo, 22 de julho de 2018.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Sul-coreanos dizem que EUA ajudaram diálogo

quinta-feira, 11 de janeiro 2018

Imprimir texto A- A+

O presidente sul-coreano Moon Jae-in disse nessa quarta-feira (10) que o seu colega americano Donald Trump deve receber os créditos pela retomada do diálogo entre Seul e Pyongyang. “Eu acho que o presidente Trump merece um grande crédito por ajudar as conversas intercoreanas a acontecerem”, disse Moon durante uma entrevista coletiva em Seul. Segundo ele, a retomada dos diálogos “pode ter sido resultado da pressão e das sanções lideradas pelos EUA”.

O Conselho de Segurança da ONU aprovou no fim de dezembro a proposta americana de impor novas sanções contra o regime norte-coreano, levando Pyongyang a dizer que as novas punições eram um “ato de guerra”. Assim, a fala do líder sul-coreano nesta quarta vai ao encontro das declarações mais recentes de Trump, como a da última quinta-feira (4), na qual atribuía a ele mesmo o mérito pela nova rodada de negociação entre as Coreias.

“Alguém realmente acredita que as conversas e o diálogo estariam acontecendo entre a Coreia do Norte e a do Sul se eu não fosse firme, forte e disposto a comprometer nosso ‘poder’ total contra o Norte?”, disse o americano na ocasião. Trump também chegou a classificar como “uma coisa boa” a reunião entre os dois países e no sábado (6), disse que “com certeza” aceitaria se reunir com o ditador Kim-Jong-un, desde que ele aceitasse algumas condições -o americano não não especificou quais. Nesta quarta, Moon disse que também aceitaria se encontrar com o norte-coreano.

Pyongyang
Essas declarações de Trump marcaram uma mudança de posição em relação a seu tom anterior, quando o americano criticava as tentativas de conversas com Pyongyang e não poupava ataques contra Kim, contra quem trocou uma série de insultos nos últimos meses. No início de 2018, por exemplo, logo após Kim expressar sua vontade de retomar o diálogo e enviar uma delegação do país para a Olimpíada de Inverno na Coreia do Sul, Trump respondeu ameaçando o ditador. “Alguém que pertença a esse regime decrépito e causador de fome por favor avise a ele que eu também tenho um botão nuclear, mas é muito maior e mais poderoso que o dele, e o meu funciona!” disse o presidente dos EUA.

outros destaques >>

Facebook

Twitter