quarta-feira, 19 de setembro de 2018.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Tom Wolfe, jornalista e autor do livro “Fogueira das Vaidades”, morre aos 88

quarta-feira, 16 de maio 2018

Imprimir texto A- A+

O escritor e jornalista Tom Wolfe, um dos grandes nomes do jornalismo literário americano, morreu nessa segunda-feira (14) em um hospital da cidade de Nova York. A informação foi confirmada ao jornal britânico The Guardian por sua agente literária, Lynn Nesbit. De acordo com ela, Wolfe fora internado devido a uma infecção. Nascido em Richmond, no estado de Virginia, em 1930, Wolfe morava em Nova York desde 1962. Ele se mudou para a cidade, que nunca mais deixou, para ser jornalista do The New York Herald Tribune -recém-saído da faculdade de direito, havia trabalhado no Springfield Union, de Massachusetts, e escreveu para outros veículos, como o Washington Post. Ele vivia com sua mulher, Sheila, com quem teve dois filhos. Com outros repórteres do período, Wolfe ajudou a consolidar a reportagem que adotava técnicas literárias em sua concepção. Wolfe escreveu obras que se tornariam clássicos, como o romance “A Fogueira das Vaidades”, e textos jornalísticos cultuados, como “Radical Chique” – que trata da relação das elites nova-iorquinas com os Panteras Negras e que seria, numa expressão mais contemporânea, um retrato da esquerda festiva nova-iorquina.

outros destaques >>

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter