28 C°

quarta-feira, 22 de novembro de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Governo lança programa para ações sociais

terça-feira, 14 de novembro 2017

Imprimir texto A- A+

Foi lançado ontem, no Rio de Janeiro, o Programa Emergencial de Ações Sociais que prevê investimento de R$157 milhões para estimular a participação de jovens em atividades esportivas, culturais e de tecnologia, com o intuito de prevenir a violência na região metropolitana do Rio.

O presidente Michel Temer, o governador Luiz Fernando Pezão e o prefeito Marcelo Crivella participaram da cerimônia de lançamento.
A ideia é ampliar os serviços oferecidos em oito centros de Referência de Assistência Social (Cras) e seis centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), além dos centros que atendem moradores de rua.

Serão beneficiados jovens inscritos no Cadastro Único dos programas sociais do governo federal. A expectativa é atender 50 mil crianças e adolescentes, entre 6 e 17 anos, que vivem nos complexos do Lins de Vasconcelos, do Alemão, da Penha e da Maré, além das comunidades do Chapadão/Pedreira, Cidade de Deus, Vila Kennedy e Rocinha, todos na capital, além da Baixada Fluminense e do Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo. O decreto que institui o programa foi assinado pelo presidente, governador e o prefeito.

“O importante é que esses jovens tenham a oportunidade não só de ter uma atividade esportiva, desenvolver as suas aptidões, suas habilidades, como também deles terem um acesso a um ensino diferenciado de informática. Que eles tenham oportunidade de vida.

A palavra é oportunidade”, disse o ministro dos Desenvolvimento Social, Osmar Terra, durante a cerimônia realizada no Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (Cefan).
Segundo ele, atualmente 2.500 crianças são atendidas por unidades militares no Rio, em espaços como o Cefan.

“A gente pode chegar rapidamente a 10 mil, nos primeiros dois meses, e chegar a 50 mil lá para março ou abril. O ministro [do Esporte, Leonardo] Picciani está promovendo uma parceria com os clubes de futebol e com as vilas olímpicas. Mas sempre associado ao ensino de informática. A gente quer que eles saiam capacitados [em informática] para qualquer emprego, nós vamos oferecer também, para os jovens que se destacarem, a possibilidade de a prefeitura acompanhar e nós financiarmos na modalidade de microcrédito, para startups, para desenvolverem aplicativos”.

Terra explicou que o programa prevê o esforço de seis ministérios. Além das ações específicas, como a compra de uniformes e material esportivo e a contratação de professores, cada pasta vai desenvolver ações paralelas e serão investidos, ao todo, cerca de R$ 200 milhões até meados do ano que vem. O Ministério da Educação vai entrar com R$ 22,5 milhões para 1 mil escolas oferecerem atividades complementares nos fins de semana, “para as escolas se transformarem em centros comunitários, para atividades nos fins de semana para atividades de cultura, esporte e lazer”.

Segundo o ministro, o Banco do Brasil doou 600 computadores para o programa e outras instituições vão doar mais máquinas, além de uma parceria com a Microsoft e a Google para fazer os cursos. Outra parceria é com a rede hoteleira, que se comprometeu a reservar 10% dos empregos para os jovens que participarem dos programas.

outros destaques >>

Facebook

Twitter