31 C°

terça-feira, 23 de maio de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Papa recusa convite de Temer para vir ao Brasil

quarta-feira, 19 de abril 2017

Imprimir texto A- A+

O papa Francisco citou a crise brasileira ao declinar um convite de Michel Temer para visitar o Brasil.
Na carta ao presidente, o líder da Igreja Católica diz que são sobretudo “os mais pobres” que pagam “o preço mais amargo” por “soluções fáceis e superficiais para crises”, sem explicitar quais seriam estas.
A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) já criticou abertamente a reforma da Previdência defendida por Temer. “Os direitos sociais no Brasil foram conquistados com intensa participação democrática; qualquer ameaça a eles merece imediato repúdio”, disse a instituição católica em nota de março enviada a parlamentares.

Apelo
No apelo, a CNBB evocou Francisco para atacar a reforma previdenciária. “Fazemos nossas as palavras do papa: ‘A vossa difícil tarefa é contribuir a fim de que não faltem as subvenções indispensáveis para a subsistência dos trabalhadores desempregados e das suas famílias. […] Não falte o direito à aposentadoria, e sublinho: o direito -a aposentadoria é um direito!- porque disto é que se trata.”
Em sua mensagem ao governo brasileiro, o pontífice afirma que a crise enfrentada pelo país “não é de simples solução, uma vez que tem raízes sócio-político-econômicas, e não corresponde à Igreja nem ao papa dar uma receita concreta para resolver algo tão complexo”. Trechos do texto foram adiantados pelo site “G1”.

Continua o papa: “Porém, não posso deixar de pensar em tantas pessoas, sobretudo nos mais pobres, que muitas vezes se veem completamente abandonados e costumam ser aqueles que pagam o preço mais amargo e dilacerante de algumas soluções fáceis e superficiais para crises que vão muito além da esfera meramente financeira”.

outros destaques >>

Facebook

Twitter