quinta-feira, 20 de junho de 2019.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

Ricardo Boechat morre em queda de helicóptero

terça-feira, 12 de fevereiro 2019

Imprimir texto A- A+

O jornalista Ricardo Boechat, 66, morreu após a queda de um helicóptero em São Paulo nesta segunda-feira (11). O incidente vitimou também o piloto da aeronave, Ronaldo Quattrucci, 56.

Mais cedo, o Corpo de Bombeiros informou que duas pessoas tinham morrido após um helicóptero cair sobre um caminhão em trecho do Rodoanel que dá acesso à rodovia Anhanguera, na zona oeste de São Paulo.
Eles seriam o piloto e o copiloto da aeronave, segundo as informações preliminares da corporação. A confirmação de que o jornalista era um dos ocupantes veio mais tarde.

O jornalista trabalhava atualmente no Grupo Bandeirantes de Comunicação, apresentando dois programas diários, o Jornal BandNews, um matinal na rádio BandNews FM, e o Jornal da Band à noite, na TV Bandeirantes. Ele tinha também uma coluna na revista semanal Istoé.
Na manhã desta segunda, Boechat falou em seu programa matinal no rádio sobre a sucessão de tragédias no país, como Brumadinho, e no Ninho do Urubu, no Rio de Janeiro.

O jornalista estava em Campinas palestrando a convite de uma farmacêutica, Libbs, em uma convenção anual de vendas da empresa. Apesar disso, a Libbs não confirma o fretamento da aeronave.

A farmacêutica informa que o caso está em averiguação, e diz em nota lamentar profundamente o ocorrido. “Durante 40 minutos ele esteve conosco em um bate-papo no qual imprimiu seu estilo, sempre autêntico e verdadeiro.”
O evento, no Royal Campinas, ainda teria um show nesta segunda. A programação foi cancelada após a confirmação do acidente.
Em nota, o Grupo Bandeirantes, disse lamentar “o súbito falecimento do jornalista” que “além de um profissional muitíssimo conceituado, premiado e admirado, o Brasil perde um grande homem, pai de seis filhos, avô e amado esposo. Estamos todos, funcionários e colaboradores, muito tristes e abalados com esta trágica notícia.”

“O jornalismo e o Brasil perderam hoje uma referência insubstituível. E nós, do Grupo Band, perdemos um amigo e profissional que jamais esqueceremos”, disse, em nota, João Carlos Saad, presidente do Grupo Bandeirantes.

Ricardo Boechat era filho do diplomata Ricardo Eugênio Boechat e nasceu no dia 13 de julho de 1952, em Buenos Aires. Na época, o pai estava a serviço do Ministério das Relações Exteriores na Argentina. O jornalista já teve passagem pelo O Globo, O Estado de S.Paulo, Jornal do Brasil e O Dia.
Na década de 1990 chegou a ter uma coluna diária no Bom Dia Brasil, jornal matutino da TV Globo.

Boechat é ganhador de três prêmios Esso de jornalismo. É também o maior ganhador do Prêmio Comunique-se.
Ele era casado com Veruska Boechat e deixa seis filhos. Beatriz, 40, Rafael, 38, Paula, 36, e Patricia, 29, de seu primeiro casamento com Claudia Costa de Andrade, e Valentina, 12 e Catarina, 10, do casamento com Veruska.

O acidente
Segundo testemunhas relataram ao Corpo de Bombeiros, a aeronave Bell Jet Ranger, um modelo de 1975, tentou fazer um pouso de emergência em uma alça de acesso do Rodoanel à av. Anhanguera, na altura do quilômetro 7, sentido Castelo Branco, próximo a um pedágio -local das vias com menos fluxo de veículos.
Na descida, no entanto, ela se chocou com um caminhão que tinha acabado de sair do pedágio, na faixa do Sem Parar (pedágio expresso). Não se sabe ainda qual o problema que a aeronave apresentou, mas foi a colisão que fez o helicóptero pegar fogo.

O motorista do caminhão foi socorrido e teve ferimentos leves, segundo a Polícia Militar.
Além de Boechat, o outro ocupante da aeronave é o piloto Ronaldo Quattrucci, 56, que também morreu no local, segundo informações do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos). Quattrucci tinha dois filhos.

De acordo com a Abraphe (Associação Brasileira de Pilotos de Helicóptero), o piloto tinha experiência de quase duas décadas como comandante e “seguiu à risca as doutrinas de segurança até o último momento, na tentativa de preservar a vida da tripulação a bordo do helicóptero”.
Segundo a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a empresa RQ Serviços Aéreos Especializados LTDA, dona do helicóptero, não estava autorizada a fazer o serviço de táxi aéreo, ou seja, a transportar passageiros de forma remunerada.

A empresa estava certificada apenas para prestar Serviços Aéreos Especializados, que incluem aerofotografia, aeroreportagem, aerofilmagem.

“Qualquer outra atividade remunerada fora das mencionadas não poderia ser prestada. Tendo em vista essas informações, a Anac abriu procedimento administrativo para apurar o tipo de transporte que estava sendo realizado no momento do acidente”, afirmou a Anac, em nota.
O caso está sendo apresentado ao 46º Distrito Policial (Perus) e os corpos foram levados ao Núcleo de Antropologia do IML (Instituto Médico Legal) Centro.
Interdições

Foram feitas interdições parciais nas pistas do Rodoanel sentido Perus e da Anhanguera sentido Jundiaí. A concessionária CCR Rodoanel, que administra o trecho oeste do Rodoanel, informa que os motoristas que vão ao interior têm como opção acessar a Anhanguera sentido São Paulo e pegar um retorno no quilômetro 18 para seguir sentido Jundiaí.
Pelas redes sociais, jornalistas, políticos e celebridades lamentaram a morte de Boechat. A maior parte das referências lembrou o estilo crítico e firme do jornalista.

Autoridades lamentam morte
de Ricardo Boechat

Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente do Senado
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) divulgou nota de pesar em que diz que o jornalista era “um profissional reconhecido pelo trabalho e senso crítico aguçado revelado nos principais meios de comunicação do país”.
Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também se manifestou nas redes sociais. “Recebo com tristeza a informação sobre a trágica morte do jornalista Ricardo Boechat e outras duas pessoas”, disse. “Boechat foi um dos grandes comunicadores do nosso país e uma referência de bom jornalismo e independência. Presto minha solidariedade a seus familiares e amigos.”
Romeu Zema (Novo), governador de Minas Gerais
Em nota, o governador de Minas, Romeu Zema, disse que recebeu com pesar a notícia da morte de Boechat. Zema foi entrevistado pelo jornalista no programa Canal Livre, da Bandeirantes, em novembro de 2018. O governador diz se “solidarizar com os familiares, amigos e colegas de trabalho do jornalista e lamenta essa perda para a imprensa brasileira”.
João Doria (PSDB), governador de São Paulo
Em sua conta no Twitter, João Dória afirmou que o Brasil perdeu um dos maiores jornalistas da história da imprensa brasileira. “Sua atuação diária demonstrava sensibilidade em defesa do interesse público e do jornalismo de qualidade. Toda a solidariedade a seus familiares, amigos e colegas da Rede Bandeirantes”, disse. O governador lamentou, também, a morte do piloto Ronaldo Quattrucci, que faleceu no acidente.
Wilson Witzel (PSC), governador do Rio de Janeiro
Em nota, Wilson Witzel afirmou que Boechat era “referência no jornalismo brasileiro, respeitado pela coragem e veemência na denúncia da má gestão pública e privada, Boechat com certeza deixará saudade em tantos ouvintes, telespectadores, leitores e admiradores que acumulou ao longo de tantos anos de trajetória profissional. Com estilo único, Boechat é insubstituível”. O governador desejou “votos de força e fé a toda família de Boechat e também ao Grupo Bandeirantes, que perde um de seus mais brilhantes jornalistas”.
Dias Toffoli, presidente do STF
“Lamento a morte do jornalista Ricardo Boechat ocorrida nesta segunda-feira (11), em São Paulo. A imprensa e a sociedade brasileira estão em luto pela perda desse excelente profissional que com dinamismo e versatilidade levava a notícia aos públicos mais diversos, seja para quem o lia na coluna da revista Istoé, seja para quem o ouvia na rádio ou o assistia nos telejornais da Band. Presto minhas sinceras condolências à família, aos amigos e às empresas para as quais trabalhou ao longo de quase meio século de jornalismo”, afirmou em nota.
Prefeitura de São Paulo
Em nota, a Prefeitura de São Paulo lamentou a morte de Ricardo Boechat. “Boechat teve destaque em todas as funções que desempenhou no jornalismo, seja como repórter, comentarista ou apresentador. Sempre empenhado em retratar os fatos de maneira precisa e correta, passou pelos principais veículos de comunicação do país e, nos últimos anos, trabalhando na Rádio BandNews FM e na TV Bandeirantes, acompanhou de perto, com a competência de sempre, os temas mais caros à cidade de São Paulo”.
Eduardo Suplicy (PT), vereador em São Paulo
No Twitter, Suplicy lamentou a morte de Boechat e do piloto Ronaldo Quattrucci, que também faleceu no acidente.
Marcelo Freixo (PSOL-RJ), deputado federal
“Muito triste com a morte de Ricardo Boechat e do piloto Ronaldo Quattrucci. Boechat é um dos jornalistas mais importantes e competentes do Brasil. Vai fazer muita falta! Deixo minha solidariedade aos amigos e familiares do Boechat e do Ronaldo”, disse o deputado em sua conta no Twitter.

Ivan Valente (PSOL-SP), deputado federal
Em sua conta no Twitter, Ivan Valente disse: “Lamentamos profundamente a morte do jornalista Ricardo Boechat. A imprensa brasileira perde um grande polemista e comunicador. O acidente com o helicóptero provocou a morte dele, do co-piloto e do piloto. Nossas condolências à família de todos.”
Vera Magalhães, jornalista e colunista do Estado S.Paulo e da rádio Jovem Pan
“Estou passada com essa notícia do Ricardo Boechat. Tive o privilégio de conhecê-lo pessoalmente há dois anos, num almoço delicioso e cheio de risadas com amigos queridos. Mas a admiração profissional era anterior e só se confirmou após o contato pessoal. Tô muito triste”, disse a jornalista em sua conta no Twitter.
Tino Marcos, jornalista da TV Globo
“Ri muito em redação e camarim com o Boechat, alma leve, bom humor. E um monstro na profissão. Sou ouvinte quase diário, sou fã. Ética, coragem, clareza. O jornalismo perde muito muito. O mundo anda triste”, disse o jornalista em sua conta no Twitter.
Chico Pinheiro, jornalista da TV Globo
“Conheci Boechat quando ele trabalhou no Bom Dia Brasil, no fim da década de 90. Eu participava de São Paulo e ele interagia com o Renato Machado, no RJ. Cheguei a apresentar o jornal com ele no estúdio. Sempre admirei seu trabalho. Sentiremos sua falta. R.I.P.”, disse Chico Pinheiro em sua conta no Twitter.

Instagram

[instagram-feed]

Facebook

Twitter