Opinião
Quinta-feira, 24 de Setembro de 2009
Greve dos Correios
Artur Bruno - Deputado Estadual

Apoiamos as reivindicações do Sindicato dos Trabalhadores em Correios, Telégrafos e Similares no Estado do Ceará (Sintect), que levou a categoria a deflagrar greve, acompanhando outros 23 estados. É nobre a luta por melhores salários. O atual piso, de R$ 640, não corresponde ao desempenho real da atividade, que, muitas vezes, é insalubre e perigosa. Por isso é que reivindicam reajuste de 41,03%, contra os 9% oferecidos pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT). A reivindicação, na verdade, é pela reposição salarial relativa à inflação dos últimos dez anos, que não foi reposta ao piso desses servidores.

A quantidade abusiva de terceirizados também prejudica a qualidade do serviço. Funcionários não concursados não têm o mesmo compromisso daqueles que receberam formação específica para a realização da atividade. Por isso, os grevistas requerem imediata contratação. E também assistência médica. Por vezes, os carteiros são confundidos com bandidos, são agredidos por animais, correndo risco de morte. Além disso, outro problema enfrentado é o assédio moral contra aqueles que participam da greve. É preciso que a Justiça do Trabalho aja rapidamente para punir esses assediadores.

Mais uma e, talvez, a mais grave ameaça sofrida pelos servidores dos Correios é a ameaça de privatização. Apesar de, recentemente, o Supremo Tribunal Federal ter decidido que a ECT manteria o monopólio das cartas, cartões e malotes, tramita projeto de Lei no Congresso Nacional, do deputado Régis de Oliveira, que requer a quebra desse monopólio. Não podemos aceitar que esse projeto seja aprovado porque o objetivo é, exatamente, retirar da ECT o que há de mais lucrativo na atividade.

Greve, por vezes, é necessária, mas nunca é algo bom. Por isso, solicitamos o apoio total às reivindicações dos servidores. A empresa dos Correios é uma das mais antigas do Brasil. Foi criada ainda por dom João VI, uma das primeiras atitudes ao chegar ao Brasil, em 1808. A própria história nacional é contada por meio dos selos. Quem não se lembra dos selos da República Velha, do Estado Novo, do governo Getúlio Vargas? Além desse importante caráter cultural, a ECT possui credibilidade, constatada por inúmeras pesquisas.

Dessa forma, sugerimos que a Assembleia Legislativa do Ceará forme uma Frente em Defesa dos funcionários dos Correios no Estado. Precisamos unir esforços para que a ECT mantenha essa credibilidade, primando pela qualidade do serviço. Para tanto, as condições de trabalho precisam ser dignas e justas. Não à baixa remuneração, à terceirização, ao assédio moral no trabalho. E sim à valorização profissional dos servidores dos Correios no Estado e no País.
 

1 / 1

O ESTADO DIGITAL

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Mais informações sobre as opções de formatação

CAPTCHA de imagem
Entre com os caracteres da imagem.