Cotidiano
Domingo, 23 de Maio de 2010
Recanto Sagrado Coração: um exemplo a ser seguido
Lar para idosas transmite segurança e bem-estar. Situação restrita a 30 senhoras.

Por Sara Oliveira
da Redação

Abrigo, respeito e condições de aproveitar a vida de uma forma saudável são direitos mais do que justos àqueles que têm uma trajetória de vivência longa. Não podendo mais manter uma estrutura residencial, para muitas idosas que não constituíram família e seguem um caminho solitário, a única alternativa é procurar um lugar que as recebam e cuidem delas. O Recanto do Sagrado Coração, que é dirigido por 12 irmãs vicentinas e localiza-se no bairro Benfica, fornece esse acolhimento a 30 idosas, que recebem atenção, participam de atividades e dividem um ambiente seguro e confortável. Infelizmente, chegar ao lar é considerado quase uma “graça divina”, já que as vagas são poucas e as interessadas, muitas.

Para conseguir um dos quartos do abrigo, as senhoras precisam ter mais de 60 anos, apresentar lucidez para desempenhar os afazeres pessoais e dispor 70% do benefício salarial de aposentadoria. Em alguns casos, o Ministério Público viabiliza a chegada de algumas idosas que encontram-se em situação de abandono.

A aposentada Ana Carlos de Carvalho, 90 anos, está no lar há seis anos e disse gostar do lugar. “Morava no Rio Grande do Norte, quando meu marido morreu, ele fez meu irmão prometer que cuidaria de mim, como não podia ficar comigo em casa, me trouxe para o abrigo”, contou a idosa.

PROJETO DESENVOLVE ATIVIDADES
Uma parceria entre governos Estadual e Municipal possibilitou a execução do projeto “A Arte de Envelhecer” às residentes do Recanto do Sagrado Coração. São oito profissionais, entre assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas e assessor jurídico, ocupando o tempo e prestando assistência às senhoras.

“As atividades do projeto visam, principalmente, preencher o tempo das idosas. Apenas 10% delas recebem visita, a tristeza pela falta de uma família as deprimem. Nós trabalhamos muito a parte espiritual, e com o andamento do programa nós já vemos progresso”, destacou a coordenadora do Projeto, a especialista em gestão do terceiro setor, Socorro Campelo.
Francisca Alves de Oliveira, 87 anos, é entusiasmada com as atividades do “A Arte de Envelhecer”.

Ela foi até seu quarto e voltou com vários tapetes e peças de crochê. “Olha aqui minhas obras, eu até vendo. Tem gente que encomenda cinco unidades só de uma vez”, declarou Oliveira. No abrigo há mais de dois anos, a aposentada explicitou a felicidade de morar lá e participar de aulas de artesanato. “Se não tivesse esses trabalhos aqui, pobre de mim, ia me afogar em tristeza de não fazer nada. Isso me dá até um dinheirinho”, ressaltou.

RESGATE DA RUA
Além de oferecer residência às idosas, o lar comporta ainda o Dispensário dos Pobres, que oferece 130 refeições e cursos profissionalizantes a moradores de rua. A irmã Inês Lima, responsável pela iniciativa, disse que o Dispensário não quer somente alimentar os necessitados, mas oferecer o resgate da dignidade humana.

1 / 1

O ESTADO DIGITAL

Comentários

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Mais informações sobre as opções de formatação

CAPTCHA de imagem
Entre com os caracteres da imagem.