31 C°

domingo, 17 de dezembro de 2017.
Fortaleza, Ceará, Brasil.

"você jamais será livre sem uma imprensa livre." - Venelouis Xavier Pereira

A favor da saúde

SÉRGIO AGUIAR - DEPUTADO ESTADUAL

terça-feira, 05 de dezembro 2017

Imprimir texto A- A+

Nesta quinta-feira, 30, encerra-se uma das mais importantes campanhas que se tem notícia no mundo. É o Novembro Azul, movimento dedicado ao esclarecimento e orientação do câncer de próstata.

O embrião da campanha nasceu há 18 anos por iniciativa de um grupo de homens australianos, que decidiu deixar os bigodes crescerem durante todo o mês de novembro. Esta ação, inicialmente, tinha o objetivo de conscientizar a Austrália sobre o câncer de próstata, câncer testicular e a depressão masculina.

Em 2004, o governo australiano encampou o movimento com o nome de Movember, que resulta da junção de mustache (bigode) e com november, palavras inglesas. Hoje, as mulheres também dão apoio ao movimento, usando a cor azul ou bigodes falsos para espalhar a conscientização da importância do cuidado da saúde masculina.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) prevê que, nos próximos 10 anos, vão surgir 1 milhão e 200 mil novos casos de câncer de próstata no mundo, que matarão cerca de 360 mil pessoas, caso não haja um recuo pós-conscientização popular. Outros números que não podemos esquecer em termos mundiais: um em cada seis homens é alvo do câncer da próstata; há o diagnóstico da câncer de próstata a cada 7,6 minutos; e há um óbito por câncer da próstata a cada 40 minutos no mundo.

O Instituto Lado a Lado pela Vida, de São Paulo, trouxe a campanha para o Brasil em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia. Somente no ano passado foram realizadas 2.200 ações oficiais em todo o País. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, o INCA, a estimativa para o Brasil aponta a ocorrência de cerca de 600 mil novos casos de câncer de próstata nos últimos 12 meses, perfil e número semelhantes ao da América Latina e do Caribe. No Brasil, o câncer da próstata é o segundo mais comum entre os homens, perdendo apenas para o câncer de pulmão.

No Ceará, até mês passado, foram 2.550 novos casos de câncer da próstata contra 2.160 novos casos de câncer de mama em mulheres. São números alarmantes, que nos mostram a importância da conscientização tanto dos homens, como das mulheres. Juntos, os cânceres de próstata e de mama já atingiram quase 5 mil pessoas no Ceará só neste ano de 2017. Em ambos os casos, a prevenção e o diagnóstico precoce fazem toda a diferença entre viver e morrer.

Por enquanto, não existe uma forma de se tornar imune à doença, que atinge, principalmente, homens acima dos 50 anos de idade. Além disso, homens com história de câncer na família correm mais risco, exigindo o início dos exames anuais aos 45 anos de idade. Neste momento de conscientização é imprescindível que todos participemos e nos engajemos nesta campanha, que não termina com o fim do mês de novembro.
A guerra continua até vencermos este mal que abala o mundo.

outros destaques >>

Facebook

Twitter